Carregando...

Publicidade

A economia de Caucaia sinalizou reação. A cidade figurou entre as que ampliaram o estoque de empregos com carteira assinada no mês de março último. (Foto: Reprodução)

31 municípios cearenses geram vagas; Caucaia lidera.

De 64 municípios cearenses com mais de 30 mil habitantes, 31 ampliaram estoque de vagas formais.

24/04/2017

Enquanto o País continua a sofrer com a retração do mercado de trabalho com a crise econômica, 31 de 64 municípios cearenses com mais de 30 mil habitantes conseguiram gerar um saldo positivo de vagas formais no mês passado. Entre eles, Caucaia se destaca com o maior saldo, de 246 postos de trabalho formais, seguido de perto por Horizonte, com 245. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Conforme os números, foram admitidos 1.059 trabalhadores e demitidos outro 813 em Caucaia no terceiro mês do ano, o que representou um aumento de 0,81% do estoque de empregos formais do município. Já em Horizonte, foram contratados 521 profissionais e cortados 276 no mesmo mês, o correspondente a uma ampliação de 1,68% do mercado de trabalho local.

Em terceiro lugar, Várzea Alegre teve um saldo de 144 vagas em março, quando foram admitidos 183 funcionários e demitidos 39 - resultado que ampliou o estoque de vagas formais do município em 4,34%. Em seguida vêm Missão Velha, com 105 postos gerados (146 contratados e 41 cortados) e ampliação de 5,45% do mercado de trabalho local, e Juazeiro do Norte, com 83 vagas (0,2%). Na cidade, foram admitidos 1.489 e demitidos outros 1.406.


(Foto: Reprodução)

Perda de postos de trabalho

Os principais geradores de empregos no Estado, entretanto, continuam em uma situação preocupante. Além da Capital, onde foram fechadas 3.393 vagas formais em março, muitos municípios também observaram uma retração do seu respectivo estoque de postos de trabalho no mês. Em Fortaleza, houve uma queda de 0,37% das vagas, resultado da admissão de 17.973 profissionais e demissão de outros 21.366.

Outras perdas mais significativas foram registradas em Brejo Santo, no sul do Estado, e em Aquiraz, Cascavel e Paraipaba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Em Brejo Santo, foram fechadas 604 vagas formais, uma redução de praticamente 12% do estoque de vagas local em apenas um mês. Na cidade, foram contratados 149 profissionais, enquanto outros 753 foram demitidos.

Em Aquiraz, foram perdidas 263 vagas formais, uma retração de 1,71% do estoque de postos de trabalho local - 383 foram contratados ante 646 demitidos. Já em Cascavel, foram encerrados 138 empregos com carteira assinada, resultado de 125 admissões e 263 demissões, o que representou uma queda de 2,27%, enquanto em Paraipaba, houve o corte de 104 postos de trabalho formais. Foram 59 contratados e 163 cortados, um recuo de 4,38%.

Situação do Estado

Em todo o Estado, foram 4.675 postos a menos em março. O resultado foi o segundo pior para o mês desde 2003, ficando atrás apenas de março de 2016, quando foram fechadas 4.701 vagas. O saldo negativo foi puxado pelo comércio (-1.447 vagas), construção civil, no qual o número de vagas despencou 1,58% (-1.258), e serviços, com a perda de 1.022 postos de trabalho em março, queda de 0,21%.

Além dos três setores, também perderam postos de trabalho a indústria (-548); a agropecuária (-286); os serviços industriais de utilidade pública, com 235 vagas a menos e a extrativa mineral (-54). Apenas a administração pública encerrou março com saldo positivo, com 175 vagas geradas, variação de 0,26%.