Carregando...

Publicidade

Ex-presidente é réu por suposta propina de R$ 75 milhões paga pela Odebrecht. (Foto: Agência Brasil)

Lava-Jato: Lula é dispensado de 87 audiências.

05/05/2017

Curitiba. O juiz federal Nivaldo Brunoni, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, liberou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de comparecer a cada audiência de suas testemunhas de defesa. O comparecimento do petista havia sido ordenado pelo juiz federal Sérgio Moro, após a defesa de Lula chamar 87 testemunhas de defesa.

O TRF4 mantém jurisdição no Paraná, base da Operação Lava Jato. Todos os atos do juiz Sérgio Moro são submetidos ao crivo da Corte federal.

Nesta ação, Lula é réu por suposta propina de R$ 75 milhões paga pela Odebrecht em oito contratos da Petrobras.

Em 17 de abril, Moro ordenou que Lula comparecesse a cada audiência das 87 testemunhas. Para Nivaldo Brunoni, do TRF4, "não parece razoável exigir-se a presença do réu em todas as audiências de oitiva das testemunhas arroladas pela própria defesa, sendo assegurada a sua representação exclusivamente pelos advogados constituídos".

Depoimento

Alegando "garantir a segurança do público interno e externo", a juíza federal Gisele Lemke determinou que ninguém além dos envolvidos diretamente com o depoimento de Lula no âmbito da ação penal referente ao tríplex no Guarujá (SP) poderá entrar no prédio da Justiça Federal em Curitiba (PR) na próxima quarta-feira (10). O atendimento ao público será suspenso.

Tríplex

O ex-diretor da OAS Roberto Moreira Ferreira afirmou, ontem, a Moro que o tríplex 164-A no Edifício Solaris, no Guarujá (SP), estava "reservado" para Lula.

O executivo foi interrogado em ação na qual o petista é réu. A denúncia do Ministério Público sustenta que Lula recebeu R$ 3,7 milhões (de R$ 87 milhões de corrupção) da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012.