Carregando...

Publicidade

No fim de março, o Açude São Mateus voltou a abastecer Canindé. Ele estava seco desde novembro de 2014 e atualmente está com 85,87%. (Foto: Alex Pimentel)

Furto, em Canindé, ameaça abastecimento.

O furto do transformador foi percebido pela equipe do SAAE, na manhã do último domingo.

11/05/2017

Quixadá / Iguatu. Um transformador emprestado. Foi a solução encontrada pelo diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) da cidade de Canindé, Francisco de Sousa Rocha, para não deixar aproximadamente 20 mil unidades consumidoras desabastecidas até o órgão conseguir outro aparato elétrico para alimentar as bombas de captação de água do Açude São Mateus. O equipamento foi instalado na tarde desta quarta-feira (10). Um novo custa em média R$ 8 mil.

Ainda conforme o gestor do SAAE, o furto do transformador ocorreu na noite do último sábado (6). Na manhã do domingo, uma equipe notou que os tanques da Estação de Tratamento de Água (ETA) não estavam recebendo água. Quando foram ao local, constataram o crime. Na parede do açude, onde ficam as bombas, havia rastro de manobra de um carro pequeno.

Vigilância

Agora, o jeito vai ser deixar um funcionário, provavelmente da Guarda Municipal, vigiando o local. O ponto do transformador fica um pouco afastado de residências. Nenhum morador das imediações notou anormalidade e nem soube informar se algum veículo passou por ali ou apresentou qualquer pista de quem praticou o furto, registrado por meio de Boletim de Ocorrência na Delegacia Regional da Polícia Civil.

O inspetor da Polícia Civil Shesman Viana informou que a equipe da Delegacia de Canindé começou a realizar as investigações. Pelos levantamentos preliminares, o furto deve ter sido praticado por um grupo que conhecia o local. O cadeado do portão de acesso à estação das bombas foi quebrado. Além do transformador de 112Kw com peso de 300Kg, os ladrões furtaram cerca de 50m de cabo elétrico de alta tensão e ainda um disjuntor.

O policial civil acrescentou não haver registro de furtos de equipamentos do SAAE na cidade até então. O último incidente ocorreu em 2014, noutro açude, o Escuridão. As bombas e a rede elétrica foram queimadas, mas naquela época, foi descoberto que se tratou de uma sabotagem, feita pelos próprios moradores, que não queriam a divisão da água com outra localidade.


(Foto: Reprodução)

No fim de março, o Açude São Mateus voltou a abastecer Canindé. O reservatório estava seco desde novembro de 2014 e tem capacidade para acumular 10,3 milhões de m³. Atualmente está com 85,87% do seu volume, conforme dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). A cidade estava sendo abastecida por uma adutora, com 53Km de extensão, oriunda do Açude General Sampaio, naquele município.

Chuvas

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou entre as 7h de terça-feira e 7h de ontem, chuva em 69 municípios cearenses. As precipitações atingiram mais as regiões litorânea, noroeste e sul do Cariri. As três maiores foram observadas em Pindoretama (56mm), Jati (47.2mm) e Granjeiro (42mm).

Para hoje, a Funceme prevê tempo com nebulosidade variável e possibilidade de chuva em todas as regiões do Estado e, para amanhã, sexta-feira, há maior chance de precipitações no Cariri e na faixa litorânea. As últimas chuvas foram provocadas por formação de área de instabilidade no Oceano Atlântico que alcançou no continente, além da presença de um sistema meteorológico denominado Cavado de Altos Níveis.

"A Zona de Convergência Intertropical está afastada, mas continua influenciando a ocorrência de chuvas", explicou o meteorologista da Funceme, Raul Fritz. "A temperatura do Oceano Atlântico e a convergência de ventos, além de umidade, são favoráveis a esse tipo de precipitações, que devem continuar, mas não de forma intensa".

A média histórica de maio, último mês da quadra invernosa, é de 90.6mm. Até ontem, a Funceme registrou apenas 35.5mm, ou seja, menos de 60% do esperado para o período. Essa tendência deve prevalecer nos próximos dias, porquanto as precipitações são isoladas e ligeiras.

A Cogerh registrou, ontem, aporte de 9,5 milhões de metros cúbicos em 44 açudes de um total de 153 monitorados pelo órgão. O volume médio atual acumulado nas barragens é de 12,69%. Atualmente 12 açudes estão sangrando, 39 continuam no volume morto e 17 permanecem secos.