Carregando...

Publicidade

O milho de sequeiro foi um dos itens que teve a expectativa de produção ampliada. (Foto: Honório Barbosa)

IBGE projeta safra de grãos 72,9% maior para o Estado este ano.

12/05/2017

A expectativa de produção de grãos no Ceará em 2017 aumentou 72,95% em abril, em comparação com o ano anterior. De 187.731 toneladas em abril de 2016, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) projeta 324.684 toneladas neste ano. Em comparação com o último mês de março, quando a expectativa era de 286.229 toneladas, o crescimento é de 13,44%. Já analisando os dados do início do ano, quando a projeção indicava 283.344 toneladas, o incremento é de 14,59%.

O relatório do IBGE consta no do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) e avalia 55 produtos no Estado. Destes, 13 tiveram ampliação na expectativa de produção e 17 registraram redução. Dentro do grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas, destaca-se o acréscimo na estimativa de produção, em comparação com o mês de março deste ano, do arroz de sequeiro, feijão-de-corda primeira safra, milho de sequeiro, fava e amendoim. Já o feijão-de-aranca e a mamona apresentaram diminuição na expectativa.

Em abril deste ano, a expectativa de produção de frutas frescas é de 864.964 toneladas, decrescendo 0,13%, na comparação com o mês anterior (866.120 t), e 0,05% em relação à primeira expectativa divulgada para este ano (865.384 t). Em relação a 2016, a expectativa é 13,72% maior (760.590 t).

Nos frutos secos, a expectativa de produção é de 42.484 toneladas em 2017, decrescendo 0,11%, comparando-se ao mês anterior (42.529 t) e 0,26% em relação à primeira expectativa (42.596 t). Na comparação com o ano de 2016, esta safra apresenta a expectativa de ser 37,19% maior que a safra passada (30.968 t).

Já no grupo dos tubérculos e raízes, apenas a macaxeira irrigada apresentou acréscimo na expectativa de produção. A batata-doce de sequeiro, a mandioca de sequeiro e a macaxeira de sequeiro apresentaram redução da expectativa de produção.

Avaliação

De acordo com o supervisor da Disseminação da Informação do IBGE, Hélder Pita, as questões climáticas, isto é, o aumento das chuvas, propiciaram a expectativa positiva de safra.

"No geral, você vê que existe, principalmente comparando com 2016, no geral, a expectativa de aumento da safra, pois as chuvas proporcionaram isso. Aumentou a chuva, aumenta a área de produção. O produtor apostou mais nessa ideia. Lembrando que predomina no nosso Estado do Ceará o produtor com lavoura de sequeiro, a produção irrigada é muito reduzida, daí o motivo do fator climático ter um peso significativo. Se tem chuva, aumentam as expectativas de melhor colheita e de área plantada", explicou.