Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução)

'Reconheço que há uma crise política', afirma Temer na Noruega

O presidente se encontrou com a embaixadora da Noruega no Brasil, Aud Wiig, ao chegar a Oslo.

23/06/2017

Oslo/Brasília. O presidente Michel Temer reconhece que o Brasil vive uma crise política e garante que irá recorrer da decisão do juiz que não aceitou sua queixa-crime contra o empresário Joesley Batista.

"Eu reconheço que há uma crise política, é evidente", disse Temer, em viagem a Oslo (Noruega). "E que eu estou tomando as providências mais variadas para defender os aspectos, primeiro institucionais da Presidência, mas também morais".

O juiz Marcos Vinícius Reis, da 12.ª Vara Federal de Brasília, rejeitou, na terça (20), a queixa-crime que Temer havia apresentado contra o empresário e delator Joesley Batista na segunda-feira (19), sob a alegação de difamação, calúnia e injúria.

Essa foi uma das duas ações movidas pelo presidente contra o dono do Grupo J&F depois de entrevista de Joesley à revista "Época" apontar Temer como chefe de quadrilha -a outra foi na Tribunal de Justiça do Distrito Federal e é por danos morais.

Para a defesa do peemedebista, o executivo agiu por "ódio" para prejudicar Temer e "se salvar dos seus crimes". Sobre a recusa do juiz em aceitar sua queixa, Temer deixou claro que vai recorrer. "Recusado, mas vai haver recurso", disse.

Apesar de reconhecer a existência da crise, Temer garante que ela não afeta a economia.

Corte de ajuda

O ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, anunciou a redução de cerca da metade do aporte do país ao Fundo da Amazônia por causa do aumento do desmatamento na região no ano passado. O corte nos recursos deve chegar perto de 500 milhões de coroas norueguesas (R$ 196 milhões). É a segunda vez consecutiva que a Noruega diminui sua contribuição.