Carregando...

Publicidade

As ações de divulgação realizadas pelo setor turístico também devem contribuir para incrementar número de visitantes em Fortaleza. (Foto: Fernando Travessoni)

Turismo nacional ganha com recessão e dólar alto.

Com o orçamento mais apertado e preços mais caros para o exterior, muita gente tem optado por destinos domésticos.

04/07/2017

Fatores internos e externos estão levando os brasileiros a pensar bem antes de fazer uma viagem internacional. A alta do dólar e a recessão econômica nacional são a combinação perfeita para os turistas optarem por destinos domésticos neste período de alta temporada no Brasil, ao invés de gastarem mais dinheiro no exterior.

Fortaleza, principal porta de entrada para as praias do Ceará, é um dos destinos nacionais que podem estar sendo beneficiados com o aumento da demanda por viagens domésticas. A previsão é que a Capital cearense receba cerca de 380 mil turistas neste mês de julho, o que deverá representar um incremento de R$ 1,6 bilhão na economia local.

Para o economista Alex Araújo, boa parte dos turistas que escolheram Fortaleza nesta alta estação abriu mão de destinos internacionais porque viajar pelo Brasil está sendo mais vantajoso economicamente.

"Além da alta nos preços das moedas estrangeiras, como o dólar, as passagens aéreas internacionais também ficaram mais caras, principalmente, para a Europa, por causa das celebrações ligadas ao centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima", afirma o economista. "Com a gestão do presidente Donald Trump, as dificuldades para conseguir visto para o Estados Unidos também estão maiores, o que é outra barreira para os turistas", analisa Alex Araújo.

Economia

O economista destaca que esse momento do turismo nacional é "interessante para a economia do Ceará", cujos benefícios podem ser potencializados com a inauguração do Aeroporto Regional de Jericoacoara, no último dia 24 de junho. O voo da Gol, fretado pela CVC, partiu de Congonhas (SP) às 10h30 e chegou ao terminal aeroportuário cearense às 13h30.


(Foto: Reprodução)

"O atual cenário favorece a chegada de um público específico ao Estado, formado em sua maioria por famílias, que priorizam a relação custo-benefício", diz Alex Araújo, acrescentando que os brasileiros que vão viajar para o exterior em julho se programaram com antecedência, para não sentir tanto o impacto no bolso.

"Eles aproveitaram, por exemplo, para fazer a compra programada de dólar, quando o valor da moeda estava mais em conta", afirma.

Divulgações

Na opinião do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (ABIH-CE), Eliseu Barros, a alta do dólar impacta, principalmente, os turistas com menor poder aquisitivo. "O viajante com maior poder aquisitivo continua indo para o exterior normalmente, independentemente da cotação das moedas estrangeiras", ressalta.

Segundo ele, alta do dólar e a recessão econômica nacional não devem ser as grandes responsáveis pelo aumento do número de visitantes ao Ceará nesta alta temporada.

"O que está incrementando o turismo cearense são as promoções dos nossos destinos, além das parcerias entre a iniciativa privada, envolvendo todo o trade, e os governos municipal e estadual. Devemos intensificar isso cada vez mais", diz.

Cotação

Segundo o site da Melhor Câmbio (www.Melhorcambio.Com), até o fim da tarde dessa segunda-feira (3), o preço médio do dólar turismo em Fortaleza era de R$ 3,48 para as compras feitas à vista. O euro estava sendo comercializado por R$ 3,96 e a libra por R$ 4,60.

O diretor de operações da Sadoc Câmbio e Turismo, Breno Cysne, observa que o impacto maior não é na quantidade de operações realizadas nas casas de câmbio, mas no faturamento das empresas.

"No nosso caso, contabilizamos uma queda de 10% a 15% no faturamento, comparando as operações para viagens que vão ocorrer em julho deste ano com aquelas identificadas em julho de 2016. Como o mercado está oscilando muito, o viajante não tem certeza do momento certo para comprar moeda estrangeira", afirma.

Menos dinheiro

De acordo com ele, os brasileiros que continuam viajando para o exterior estão levando menos dólar no bolso, priorizando apenas gastos com hospedagem, alimentação e passeios. "Por conta das dificuldades econômicas, os turistas, em geral, não estão fazendo compras. O dólar, por exemplo, está sendo adquirido em quantidades bem menores", explica Cysne.

Valor

Ontem, na Sadoc, o dólar turismo estava sendo vendido por R$ 3,45. Já o euro e a libra custavam R$ 3,90 e R$ 4,60, respectivamente. "Em 2016, nós ainda conseguimos crescer 10% em termos de faturamento. Neste ano, queremos terminar o ano com, no mínimo, estabilidade", estima Breno Cysne.

Viajantes

"As promoções dos nossos destinos também têm contribuído para incrementar o turismo cearense"

Eliseu Barros
Presidente da ABIH-CE

"Além da alta nos preços das moedas estrangeiras, as passagens aéreas internacionais também ficaram mais caras"

Alex Araújo
Economista