Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução)

Diversão com natureza e adrenalina.

Como atividade física, aventura, apreciação da natureza ou pura diversão, a escalada atrai novos praticantes.

08/07/2017

Quixadá. Uma opção muito saudável nas férias é curtir a natureza e vencer seus obstáculos. Essa é a meta dos montanhistas, praticantes de escalada, uma modalidade esportiva em crescimento na geografia cearense. Quixadá e Tejuçuoca se destacam nesse cenário. A primeira cidade, considerada o Havaí do voo livre pelos pilotos de asa delta e parapente, também é conhecida como a Meca da escalada no Ceará. Teju, como a Terra do Bode é carinhosamente tratada, também atrai um bom número de esportistas de montanhas.

Nesta época do ano, é possível ver alguns parapentes e asas delta cruzando os céus da Terra dos Monólitos, referência às dezenas de rochas no entorno de Quixadá. A atenção se volta mais para essas formações geográficas, algumas até exóticas, como a Pedra da Galinha Choca. Grupos de jovens aproveitam o recesso escolar e desembarcam nessa aventura mata adentro, à procura das vias mais fáceis, como são denominadas as rotas traçadas pelos escaladores nas elevações rochosas. Opção não falta na região para iniciante e experts. Respeitadas, porém, as regras de segurança.

Em Tejuçuoca não é diferente. O Município no Vale do Curu possui no seu sudoeste formações de até 700 metros de altura. Trata-se de um conglomerado de rochas de calcário, um tipo de formação excelente para a prática do esporte. Teju fica quase à mesma distância rodoviária de Quixadá à Capital. São 144Km, 20 a menos. Mas primeiro é preciso ter disposição. Depois, aprendendo as técnicas de escalada, o uso correto dos equipamentos e ir conhecendo aos poucos os próprios limites.


Os principais montanhistas do Estado desenvolveram diversas vias de escalada. As mais importantes ficam em Quixadá e Tejuçuoca. (Foto: Dennis Renner)

Privilégio

Para os praticantes mais frequentes do Montanhismo no Ceará, a turma da Associação Cearense de Escalada Esportiva (ACEE), o Estado é privilegiado no Nordeste para a prática desse esporte. Nele, são incluídas curtas ou longas trilhas. Em Fortaleza, existe a Fábrica de Monstrinhos, um clube onde é possível praticar a escalada indoor durante a semana. Já para os fins de semana e feriados, as possibilidades são muitas.

O lugar mais próximo da capital é um setor de escalada chamado de campo-escola, por possuir diversas vias fáceis. Fica a 20Km de Fortaleza, no Garrote, em Caucaia, ideal para quem está iniciando. Em Redenção existem mais quatro setores, com vias de diversos graus de dificuldade e boas trilhas a serem vencidas, explica Dennis Ronner, da ACEE.

Mas o destaque mesmo é Quixadá. Existem mais de 200 vias para escalar, incluindo o rabo e a cabeça da Galinha Choca. Neste Município também estão as vias mais longas do Estado. Variam de 120 a 580 metros de subida. Um delírio para o corpo e para os olhos, pois a vista de cima dos monólitos é espetacular. Outra vantagem é a proximidade da cidade. A maioria dos monólitos fica a pouco mais de 5Km do Centro, onde está situada a Pedra do Cruzeiro, outro equipamento natural do lugar.


(Foto: Reprodução)

Destaques

Os montanhistas Kido Aranha e Gildo Perigoso se destacam na Cidade. Em 2015, Kido criou um manual com dezenas de vias. No mesmo ano, o ex-parceiro de trilhas e escaladas, Gildo Perigoso, passou a integrar a ACEE, a mais atuante e em atividade no Ceará nessa modalidade. Naquele mesmo ano, Quixadá sediou o Encontro de Escaladores do Nordeste, com a participação de mais de 200 escaladores, de vários países. O evento contou com o apoio da ACEE. Além do voo-livre, a cidade passou a despertar o interesse dos praticantes de outros lugares para o montanhismo. No mesmo ano, Kido Aranha promoveu o "Outubro Rosa", dedicado às mulheres praticantes da modalidade.

Segundo o montanhista Dennis Renner, em Tejuçuoca, a ACEE já abriu mais de 100 vias de escalada, de diversos níveis de dificuldade. Enquanto em Quixadá as vias estão espalhadas por toda a cidade e vizinhança, em Teju, a prática se concentra no Parque Municipal Furna dos Ossos, onde existe um abrigo da Prefeitura e um restaurante. O parque também promove trilhas guiadas pela antiga rota de fuga dos cangaceiros. "Com o tempo, o grupo de escaladores cearenses vai desenvolvendo novos lugares para praticar o esporte, ampliando as possibilidades de diversão e contato com a natureza. Em, Aracoiaba existe uma via na Pedra da Aguda, uma das mais antigas do Estado. Para 2018, a Associação de Escalada investirá em Itapajé, que já mostrou ter muito potencial para a prática de boulders e escalada esportiva", acrescentou Renner. Ele é um dos diretores da ACEE.

Desbravador

Considerado o desbravador e incentivador do esporte em Quixadá, gaúcho oficial do Exército Adão Donato Masera, morreu em junho do ano passado. Com experiência adquirida ao longo da carreira militar, o Tenente Masera, como era conhecido, foi chefe da Junta Militar nesta cidade. Nas folgas, sempre estava desbravando as riquezas do lugar. Ele treinou jovens e até montou uma empresa de turismo. Anos depois retornou à terra natal.

Hoje, Gildo Perigoso e Kido Aranha seguem trilhas diferentes. Kido se tornou um poliatleta, adjetivo criado por ele mesmo em razão dos outros esportes os quais passou a praticar, entre eles o ciclismo e o voo livre. Agora é também piloto de parapente. Mas sempre reúne os amigos para novas aventuras nos monólitos de Quixadá. Eles chegaram a montar uma empresa, a Ação Vertical, mas a sociedade foi desfeita.

Gildo continua concentrado no montanhismo e noutras atividades mais voltadas à natureza. Neste fim de semana, ele está treinando, em Quixadá, um grupo de novos escaladores. "É preciso conhecer todas as técnicas e os equipamentos certos a serem utilizados para não correrem riscos", alerta. Também está recebendo um grupo de montanhistas do Rio Grande do Norte.

Paixão

Numa coisa ambos concordam: o contato com a natureza, percorrer as trilhas, escalar as montanhas, é apaixonante. Com os namorados Samuel Kélvyn Alves e Rutielle Queiroz de Alencar foi amor à primeira vista, tanto entre eles quanto pelo montanhismo. Eles se conheceram no Outubro Rosa, o evento de escalada realizado por Kido Aranha, mas hoje acompanham os passos de Gildo Perigoso. O casal aproveita o tempo livre para escalarem juntos. Nestas férias não vai ser diferente. Opção em Quixadá não falta. Apenas o número de praticantes é reduzido. A maioria dos amigos prefere ficar em casa, jogando videogame ou no celular.

Desde os 15 anos, Samuel procurava trilhas e pequenos cumes acessíveis, para se aventurar com os amigos. Com suas bikes, percorriam quase todas as trilhas de Quixadá, dentre elas a do Santuário, da Fazenda Magé, do Lemos, da Galinha Choca, entre outras. O lazer vai fazendo parte da vida e do cotidiano, além de ser muito saudável. Mas foi em uma aula de campo de Educação Física do IFCE Quixadá, guiada pelo professor Cristiano Sousa, que conheceu o montanhismo, na Pedra Faladeira, no Açude Cedro. A aula foi ministrada por Gildo Perigoso e Kido Aranha. Desde então, se apaixonou pela modalidade, passando a se dedicar às escaladas.

"Só fui aprender a ser independente e subir nas montanhas e picos diversos, com autonomia, depois de oito meses, foi quando iniciei as atividades com Gildo Perigoso. Ele me forneceu todo apoio material e moral e, com um mês, estávamos escalando sozinhos. Até hoje, mantemos parceria, não só eu, como a Rutielle, minha namorada", explica Samuel.

A namorada, Rutielle de Alencar, nunca gostou de academia. Ela sempre quis um esporte que pudesse praticar ao ar livre, ter mais conexão com a natureza. Foi quando teve o seu primeiro contato com a escalada, no evento realizado por Kido Aranha.