Carregando...


Mais Noticias

Grêmio sai atrás, mas vira e vence Flu por 3 a 1 em noite de Barrios na Arena


Flu marca com Renato Chaves, mas Grêmio busca a virada com Arthur e Barrios, duas vezes, para sair com vantagem no jogo de ida das oitavas da Copa do Brasil

Na reestreia de Cuca, Palmeiras inicia defesa do título com goleada sobre o Vasco


O Palmeiras iniciou a sua defesa do título brasileiro de forma avassaladora. Neste domingo, na reestreia do técnico Cuca, o time alviverde aproveitou o embalo da festa da torcida e atropelou o Vasco pelo placar de 4 a 0, no Allianz Parque, em duelo válido pela primeira rodada do Brasileirão. Jean, Guerra, e Borja, duas vezes, garantiram o placar elástico para o atual campeão nacional.

Depois da bela estreia, o Palmeiras já terá que mudar o foco para outro torneio. Na próxima quarta-feira, a equipe receberá o Internacional no Allianz Parque, pelo confronto de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Pelo Brasileirão, o Palmeiras volta a campo no sábado, quando visita a Chapecoense, na Arena Condá. Já o Vasco buscará a reabilitação no domingo, jogando em São Januário, diante do Bahia.

O Palmeiras não deu chances para o Vasco neste domingo. Logo aos cinco minutos, Jomar chegou forte em Dudu dentro da área, e o árbitro marcou a penalidade. Na cobrança, Jean inaugurou o marcador. Na reta final da primeira etapa, ocorreu o segundo gol. Jean recebeu a bola na área, bateu forte, mas Martin espalmou. Guerra pegou o rebote e finalizou.

Logo no começo do segundo tempo, o Palmeiras fez o terceiro. Tchê Tchê fez belo cruzamento, Borja desviou de cabeça e mandou para a rede. Já aos 34 minutos, o golpe final. Dudu foi derrubado dentro da área e o árbitro marcou nova penalidade, desta vez convertida por Borja.


O jogo


Cuca foi mais festejado pela torcida do que todos os jogadores e, de calça vinho, viu seu time abrir o placar logo aos seis minutos do primeiro tempo. Em uma jogada do lado direito da grande área, Dudu sofreu pênalti de Jomar. Na cobrança, Jean converteu.

Na metade final do primeiro tempo, Jean trocou de lugar com Tchê Tchê e passou para o meio de campo. Aos 40 minutos, em um lance com o dedo de Cuca, Jean recebeu de Tchê Tchê pela direita e bateu para defesa do goleiro Martin Silva. No rebote, Guerra aumentou a vantagem palmeirense.

A equipe visitante teve sua melhor chance de marcar nos instantes finais do primeiro tempo. Em uma saída de bola, Jean recebeu de Fernando Prass de costas e, desatento, perdeu para Douglas. Completamente livre, o vascaíno saiu na cara do gol e acertou o travessão.

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com Jean mantido no meio de campo e chegou ao terceiro gol antes do minuto inicial. Em uma nova jogada pelo lado direito, Tchê Tchê cruzou para cabeçada certeira de Borja - na comemoração, os reservas saíram do banco para abraçar o colombiano.

Amplamente superior, o Palmeiras desperdiçou várias chances para marcar o quarto. Em duas jogadas pela esquerda, Dudu sobrou livre, mas Martin Silva defendeu. Pela direita, Guerra também teve sua oportunidade e parou em defesa do goleiro vascaíno. Já Jean, livre no meio da área, mandou para fora.

Em vantagem, Cuca sacou o atacante Willian para a entrada do lateral direito Fabiano, recolocando Tchê Tchê no meio. O Palmeiras fechou o placar aos 34 minutos, quando Dudu sofreu novo pênalti de Jomar. Borja pediu para cobrar e furou a rede do Allianz Parque. Satisfeito, o técnico ainda trocou Guerra e Dudu por Roger Guedes e Keno.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 4 X 0 VASCO


Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP
Data: 14 de maio de 2017, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa/PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (Fifa/PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Cartões amarelos: Jomar (VAS)
Público: 33.425 pagantes
Renda: R$ 2.109.685,93
Gols:
PALMEIRAS: Jean, aos seis minutos do primeiro tempo, Guerra, aos 40 minutos do primeiro tempo, Borja, aos 46 segundos e aos 34 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Yerry Mina e Zé Roberto; Felipe Melo e Tchê Tchê; Willian (Fabiano), Guerra (Roger Guedes) e Dudu (Keno); Borja. Técnico: Cuca

VASCO: Martin Silva; Gilberto (Bruno Gallo), Rafael Marques, Jomar e Henrique; Jean (Paulo Vitor), Douglas, Yago Pikachu, Nenê e Mateus Vital; Luis Fabiano (Kelvin). Técnico: Milton Mendes


Em jogo de cinco gols, Henrique 'Ceifador' decide, e Fluminense vence o Santos na estreia


Na primeira matinê do torneio, neste domingo, no Maracanã, a equipe tricolor ganhou do Santos por 3 a 2 com Henrique 'Ceifador' em dia inspirado.

O atacante abriu o placar logo aos 4 minutos de partida desviando cruzamento da esquerda após boa jogada do lateral Léo.

O duelo, depois, ficou morno, mas os minutos finais da etapa inicial foram intensos.

Aos 39, Bruno Henrique cruzou da esquerda, e o lateral direito Victor Ferraz apareceu sozinho na marca do pênalti para cabecear e empatar o duelo.

Antes do intervalo, o camisa 9 do Flu voltou a aparecer: ele recebeu dentro da área, disputou a bola com Jean Mota e, mesmo sem ser tocado, caiu.

O árbitro marcou penalidade, que o próprio centroavante cobrou e fez 2 a 1.

No segundo tempo, o Fluminense marcou o terceiro com Júnior Sornoza, aproveitando linda jogada de Wendel e tocando com categoria sem chances para Vanderlei.

O Santos foi para o ataque e teve boas chances para descontar. Num mesmo lance, Ricardo Oliveira e Bruno Henrique cabecearam no travessão.

Aos 42 minutos, a insistência alvinegra valeu o segundo gol: Lucas Lima enfiou para Bruno Henrique, que chutou em cima de Diego Cavalieri; no rebote, Vladimir Hernández estufou as redes e reacendeu a esperança, mas parou aí.

Assim, o Flu é o primeiro time vencedor na estreia do Brasileiro após dois empates no sábado - Flamengo 1x1 Atlético-MG e Corinthians 1x1 Chapecoense.

A equipe de Abel Braga volta a campo na próxima quarta-feira em visita ao Grêmio pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil; pela Série A nacional, visita o Galo no outro fim de semana. O Santos vai à Bolívia enfrentar o The Strongest pela Libertadores e recebe o Coritiba pelo Brasileirão no sábado.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 3 X 2 SANTOS


Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 14 de maio de 2017, domingo
Horário: 11 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Fabio Rodrigo Rubinho e Marcelo Grando (ambos do MT)
Renda: R$ 305.610,00
Público: 9.880 pagantes
Cartões amarelos: Léo (Fluminense); Victor Ferraz, Bruno Henrique, Lucas Veríssimo, Lucas Lima e Ricardo Oliveira (Santos)

GOLS
FLUMINENSE:
Henrique Dourado, aos 4 e 47min do primeiro tempo; Sornoza, aos 12min do segundo tempo
SANTOS: Victor Ferraz, aos 38min do primeiro tempo; Hernandez, aos 42min do segundo tempo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Wendel e Sornoza (Gustavo Scarpa); Wellington Silva (Marcos Júnior), Richarlison (pierre) e Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Jean Mota (Léo Cittadini); Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Hernández), Ricardo Oliveira (Kayke) e Bruno Henrique. Técnico: Dorival Júnior


Título paulista comprova acerto do Corinthians em apostar na base


O Corinthians foi campeão paulista de 2017 com um time inteiro de jogadores revelados em suas categorias de base. Se contabilizados o lateral direito Fagner e o centroavante Jô, que rodaram bastante até retornar ao clube do Parque São Jorge, foram 11 os pratas da casa entre os inscritos.

Além da dupla experiente de crias do Corinthians, o goleiro Caíque França, os laterais Léo Príncipe e Guilherme Arana, os zagueiros Léo Santos e Pedro Henrique e os atacantes Léo Jabá e Pedrinho deram as suas contribuições à equipe no Estadual. Todos eles passaram pelas mãos de Osmar Loss, técnico campeão da Copa São Paulo deste ano e agora auxiliar de Fábio Carille.

Desde a pré-temporada, quando sofria com a escassez de recursos do Corinthians para se reforçar, Carille adiantava que recorreria bastante à base do clube. O fato de conhecer a maioria dos novatos por já trabalhar no CT Joaquim Grava há bastante tempo, como auxiliar de Tite e Mano Menezes, era considerado um trunfo na missão de rejuvenescer o seu elenco.

Quando apresentou a sua relação de 28 inscritos para o Estadual, contudo, Carille se julgou obrigado a preterir os campeões da última Copinha, por falta de espaço, e precisou se defender das críticas. Mais tarde, compensou quem o atacava ao relacionar Pedrinho, destaque nos treinamentos, na vaga do zagueiro Vilson, contundido. O centroavante Carlinhos, goleador do torneio sub-20, não teve a mesma oportunidade de chamar a atenção, já que passou por cirurgia no púbis.

Entre os titulares do Corinthians, dois novatos conseguiram se firmar. Reintegrados à equipe após fracassar com a Seleção Brasileira no Sul-Americano sub-20, Guilherme Arana barrou Moisés na lateral esquerda e Maycon superou a concorrência de Fellipe Bastos e Camacho para o posto ao lado do volante Gabriel. Ambos estão entre os mais elogiados atletas da campanha vitoriosa no Estadual.

A expectativa é de que outras revelações sejam mais aproveitadas com a sequência da temporada – principalmente no Campeonato Brasileiro, em que não há limite de inscritos. Já presentes no dia a dia da equipe no CT Joaquim Grava, o goleiro Matheus Vidotto, os volantes Warian e Mantuan e o meia Rodrigo Figueiredo, além de Carlinhos, estão na expectativa de ter exposição semelhante à dos amigos campeões do Paulista de 2017.


Rico, Guerrero e campeão! Fla vira sobre o Flu, vence o Carioca e abre maior vantagem da história


Freguesia? Que nada!

Neste domingo, o Flamengo arrancou uma emocionante vitória de virada por 2 a 1 sobre o Fluminense e sagrou-se campeão do Campeonato Carioca pela 34ª vez na história.

Na primeira partida, os rubro-negros haviam vencido por 1 a 0, e só precisavam de um empate para levar a taça.

Uma vingança pelo Carioca de 1995 que demorou 22 anos para acontecer, mas veio.

O gol do empate foi marcado pelo atacante Paolo Guerrero, aos 39 do segundo tempo.

Ele aproveitou rebote dado por Diego Cavalieri e, de perna esquerda, fuzilou para fazer a torcida flamenguista explodir de alegria no Maracanã lotado.

Até ali, a partida estava indo para os pênaltis, depois que Henrique abriu o placar logo aos 3 minutos de jogo, de cabeça. O tento do "Ceifador", porém, de nada adiantou no fim...

Nos acréscimos, Rodinei arrancou e bateu para sacramentar a virada.

Neste momento, aliás, o Flu jogava com o volante Orejuela improvisado no gol, depois que Diego Cavalieri foi expulso.

O meio-campista nada conseguiu fazer com o chute de Rodinei, que arrancou de seu próprio campo, e viu o clube da Gávea virar o placar para fazer o "Maraca" explodir mais uma vez.

MAIOR VANTAGEM DE TÍTULOS DA HISTÓRIA

Com o troféu, o Flamengo abre sua maior vantagem de títulos cariocas sobre o Fluminense na história. São agora 34 taças rubro-negras contra 31 tricolores.

Nunca antes o clube da Gávea havia conquistado tal marca!

Esse também é o primeiro troféu da era "ricaça" do Flamengo.

Atualmente, o clube vive grande fase nas finanças, com o maior orçamento do país (R$ 483,5 milhões), mas vivia uma seca de títulos desde a conquista do Carioca de 2014.

No entanto, o jejum acabou agora, com mais uma conquista estadual para a conta.

A taça também serve para diminuir um pouco a desvantagem flamenguista contra o Fluminense em duelos valendo conquista de campeonato.

Agora, os tricolores dizem que ganharam oito títulos em cima do rival, enquanto o Fla arrebatou quatro troféus em clássico.

O JOGO

O Fluminense começou a partida a todo vapor e, logo aos três minutos, marcou o primeiro gol. Após cobrança de escanteio, Léo desviou e Henrique Dourado cabeceou sem chances de defesa para Alex Muralha.

Só depois de sofrer o primeiro gol é que o Flamengo começou a assumir uma postura ofensiva. O time rubro-negro atacava preferencialmente pela direita, para usar a velocidade do colombiano Berrio. Aos oito minutos, um novo susto para a torcida rubro-negra. Willian Arão recuou mal para Alex Muralha, que teve que se livrar de Henrique Dourado para aliviar o perigo.

Dois minutos depois, Trauco lançou Guerrero, Renato Chaves aliviou mal e Pará completou, de primeira, mas mandou para fora. Logo depois, Everton bateu falta e a bola acabou sobrando para Renê, que chutou para fora.

O Fluminense recuou para defender a vantagem e o Flamengo controlava as ações em busca do gol de empate. Só aos 13 minutos é que o Tricolor reapareceu na área adversária, mas o cruzamento de Léo encobriu o travessão.

Os laterais do Flamengo subiam constantemente ao apoio e , aos 18 minutos, Renê avançou e tentou encontrar Guerrero, mas o atacante peruano não aproveitou o lançamento que ficou nas mãos de Cavalieri.

A pressão rubro-negra continuava e, aos 22 minutos, foi a vez de Willian Arão arriscar. A bola desviou em Renato Chaves e saiu para escanteio. O Fluminense não conseguia ficar com a bola e se limitava a tentar barrar as investidas do adversário.

A partir dos 30 minutos, o jogo ficou truncado com as duas equipes abusando das faltas para interromper as jogadas. Só aos 31 minutos é que o time das Laranjeiras voltou a ameaçar. Léo levantou na área, a zaga não cortou e Henrique Dourado cabeceou com perigo. O Flamengo respondeu com uma arrancada de Renê que cruzou, Orejuela furou e Everton chutou, para ótima defesa de Diego Cavalieri.

No Fluminense, só Henrique Dourado dava trabalho aos zagueiros. Ele aproveitou um lateral executado por Léo para concluir com perigo.

Aos 41 minutos, após jogada confusa na área do Flamengo, a bola sobrou para Wellington Silva, que chutou e Rafael Vaz desviou de ombro, mandando para escanteio. No último lance do primeiro tempo, Henrique Dourado fez bom passe para Wellington Silva que chutou forte, mas a bola foi bloqueada por Rafael Vaz.

Os dois times voltaram sem modificações para o segundo tempo. E o Flamengo partiu para o ataque. Logo no primeiro minuto, Trauco levantou a bola na área e Cavalieri saiu com precisão para afastar de soco.

No primeiro avanço do Tricolor, a bola foi lançada por Wellington Silva para Henrique Dourado, mas Renê fez a cobertura e conseguiu evitar que a bola chegasse ao seu destino. Aos sete minutos, Léo tabelou com Richarlison, invadiu a área, mas se enroscou com Berrio e caiu, mas o árbitro nada marcou. Um minuto depois, Henrique Dourado investiu pelo lado e cruzou para a entrada de Wellington Silva, mas Alex Muralha se antecipou e ficou com a bola.

O técnico Zé Ricardo decidiu trocar Berrio por Gabriel para tentar dar mais força ofensiva ao time, mas o Fluminense seguia pressionando. Aos 12 minutos, após cruzamento na área, Muralha hesitou na saída e Henrique Dourado cabeceou, mas não conseguiu acertar a direção do gol. Dois minutos, o goleiro do Flamengo apareceu bem para defender um chute de Sornoza.

O time dirigido por Abel Braga voltou melhor para o segundo tempo, enquanto o Flamengo encontrava dificuldades para armar jogadas de ataque. O lateral Rodinei entrou no lugar de Trauco para atuar aberto pela direita, formando dupla com Pará. Já o Fluminense trocou o apagado Wellington Silva por Maranhão.

Aos 24 minutos, o Flamengo voltou a criar boa chance. Guerrero foi lançado, mas Léo apareceu na cobertura e bloqueou o chute do peruano. Aos 30, Everton foi lançado na esquerda por Gabriel e cruzou para a entrada de Guerrero, mas Cavalieri se antecipou e impediu que a bola chegasse ao atacante.

O Fluminense respondeu com um cruzamento de Léo para Henrique Dourado, mas Réver conseguiu desviar para escanteio. Na cobrança, Renato Chaves cabeceou e Muralha fez boa defesa.

Aos 38 minutos, Willian Arão chuta, a bola desvia em Henrique e sai para escanteio. Na cobrança, o Flamengo empatou. Réver cabeceou, Diego Cavalieri espalmou e Guerrero, de pé esquerdo, empurrou para a rede.

O Fluminense se desesperou e ainda teve o goleiro Diego Cavalieri expulso. Ele recebeu cartão vermelho ao derrubar Rodinei que entrava livre. O volante Orejuela foi para o gol e o Flamengo acabou marcando o segundo gol, aos 50 minutos, com o próprio Rodinei.

FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 2 X 1 FLUMINENSE

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Data: 7 de maio de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Público: 68.165 total/58.399 pagante
Renda: R$ 3.242.130,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone e Michael Correia (ambos RJ)
Cartões amarelos: Pará, Márcio Araújo (FLA); Wellington Silva, Henrique Dourado, Lucas, Léo (FLU)
Cartão vermelho: Diego Cavalieri (FLU)
GOLS:
FLAMENGO: Guerrero, aos 39, e Rodinei, aos 50 minutos do segundo tempo
FLUMINENSE: Henrique Dourado, aos 3 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Alex Muralha, Pará, Rafael Vaz, Rever e Renê; Márcio Araújo, Willian Arão e Trauco (Rodinei); Berrío (Gabriel), Paolo Guerrero e Everton (Juan) Técnico: Zé Ricardo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Jefferson Orejuela, Wendel (Marcos Júnior) e Junior Sornoza; Wellington Silva (Maranhão), Richarlison (Pedro) e Henrique Dourado Técnico: Abel Braga


Fla joga mais, aproveita furada e sai na frente do Flu na final do Carioca 2017


Renato Chaves tem falha incrível que custa a derrota ao Tricolor no primeiro jogo da decisão. Rubro-Negro joga pelo empate domingo que vem para ficar com o título

Mão na taça! Corinthians faz 3 a 0 na Ponte em Campinas e fica muito perto do título paulista


Rodriguinho tem grande atuação, faz dois gols, dá passe para Jadson marcar o outro e comanda grande vitória do Timão no Moisés Lucarelli; só goleada salva a Macaca na volta

Palmeiras se transforma no intervalo e vira jogo histórico no Uruguai


Na partida marcada pela lamentável briga generalizada após o apito final, Verdão supera primeiro tempo sofrível com mudança tática no segundo tempo

Certeiro, Atlético-PR aproveita chances e toma liderança do Fla: 2 a 1


Thiago Heleno, de cabeça, e Felipe Gedoz, em bonita jogada, marcam para o Furacão. Rubro-Negro carioca perde muitas chances e desconta no fim com William Arão

Mais saídas do que chegadas


Diretoria dá entrevista, mantém técnico, fala em dispensas, pede desculpas à torcida e fala em erro zero


Publicidade