Carregando...

Publicidade

O Banco Central (BC) também informou queda nas modalidades de rotativo regular e não regular. Já para o parcelado com juros, houve aumento. (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Em Janeiro: Juro do rotativo do cartão de crédito cai a 327,9%, diz BC.

Em comparação com o mês de dezembro do ano passado, houve redução de 6,9 pontos percentuais.

28/02/2018

Brasília. O juro médio total cobrado no rotativo do cartão de crédito caiu 6,9 pontos percentuais no primeiro mês de 2018, informou, ontem (27), o Banco Central (BC). Com isso, a taxa passou de 334,8% em dezembro para 327,9% ao ano em janeiro.

Entre as várias taxas cobradas no cartão, a modalidade rotativo regular viu a taxa subir de 233,9% para 241,0% ao ano de dezembro para janeiro. Neste caso, são consideradas as operações com cartão rotativo em que houve o pagamento mínimo da fatura. Já a taxa de juros da modalidade rotativo não regular caiu expressivamente, ao passar de 401,7% para 387,1% ao ano. O não regular inclui as operações nas quais o pagamento mínimo da fatura não foi realizado.

No caso do parcelado com juros, ainda dentro de cartão de crédito, o juro passou de 169,2% para 171,5% ao ano. Considerando o juro total do cartão de crédito, que leva em conta operações do rotativo e do parcelado, a taxa passou de 70,9% para 68,9% de dezembro para janeiro. O juro do rotativo é a taxa mais elevada desse segmento e também a mais alta entre todas as avaliadas pelo BC. Segunda operação mais cara, o cheque cobra juros de 324,7% ao ano.

Em abril de 2017, começou a valer a nova regra que obriga os bancos a transferir, após um mês, a dívida do rotativo do cartão de crédito para o parcelado, a juros mais baixos.

Livre

Também nessa terça, o BC anunciou que a taxa média de juros no crédito livre subiu de 40,3% ao ano em dezembro para 41,1% ao ano em janeiro. Em janeiro de 2017, essa taxa estava em 52,8% ao ano.

Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre subiu de 55,1% para 55,8% ao ano de dezembro para janeiro. Já para pessoa jurídica passou de 21,6% para 22,3% ao ano.

Entre as principais linhas de crédito livre para a pessoa física, destaque para o cheque especial, cuja taxa subiu de 323,0% ao ano para 324,7% ao ano de dezembro para janeiro. No crédito pessoal, a taxa caiu de 44,3% para 46,1% ao ano. Para veículos, os juros subiram de 22,2% para 22,7% ao ano, de dezembro para janeiro.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui operações livres e direcionadas (com recursos da poupança e do BNDES), foi de 25,6% ao ano em dezembro para 26,3% ao ano em janeiro. Em janeiro de 2017, estava em 32,9%.

Custo

Já o Indicador de Custo de Crédito (ICC) permaneceu estável em janeiro ante dezembro, em 15,6% ao ano. O porcentual reflete o volume de juros pagos, em reais, por consumidores e empresas no mês, considerando todo o estoque de operações, dividido pelo próprio estoque. Na prática, o indicador reflete a taxa de juros média efetivamente paga pelo brasileiro nas operações de crédito contratadas no passado e ainda em andamento.

Média diária

A média diária de concessões de crédito livre caiu 19,4% em janeiro ante dezembro, para R$ 11,7 bilhões, informou o Banco Central. Houve avanço, no entanto, de 6,8% em 12 meses até janeiro. No crédito direcionado, a média de concessões caiu 48,5% em janeiro ante dezembro, para R$ 0,8 bilhão. Em 12 meses até janeiro, há baixa de 5,8%. Quando se soma o crédito livre e o direcionado, a queda das concessões médias foi de 22,3% em janeiro, para R$ 12,5 bilhões.

Inadimplência

A taxa de inadimplência no crédito livre passou de 4,9% em dezembro para 5,0% em janeiro. Para pessoa física, a taxa ficou estável em 5,2% no mês passado. Para as empresas, a taxa passou de 4,5% para 4,8%.



Total de acessos: 237849

Visitantes online: 15