Carregando...

Publicidade

Felipe Azevedo e Bruno Melo disputam jogada no Clássico-Rei de ontem. (Foto: JL Rosa)

Clássico-Rei: Elencos e treinadores elogiam nível da partida.

05/03/2018

Se há um ponto em que há uma concordância entre os jogadores de Fortaleza e Ceará, após o clássico-rei, que terminou empatado em 1 a 1, ontem à noite na Arena Castelão é o de que, a qualidade do espetáculo agradou aos torcedores que compareceram. Uns, receberam o empate com sabor de vitória, enquanto que outros lamentaram a vacilação no final da partida.

"Eu tenho um pensamento de que, meu time joga sempre para ganhar. Não gosto de empates, mas dadas as circunstâncias do jogo, o empate acabou nos agradando, porque pelas chances que tivemos, pela qualidade do jogo, seria uma injustiça sairmos derrotados. Foi uma partida muito disputada e saímos satisfeitos porque nosso time mostrou espírito de reação e ainda tivemos chances de virar o jogo", disse o técnico Marcelo Chamusca.

Por sua vez, o técnico do Fortaleza, Rogério Ceni, também gostou da partida: "Foi um belíssimo jogo, muito intenso, de altíssimo nível e nós procuramos o gol a cada momento. Só tenho coisas boas a dizer dessa partida e do meu time, que se empenhou para vencer uma equipe muito bem treinada. O Ceará está na Primeira Divisão, é um clube muito bem estruturado e grande parte disso vem do seu treinador, que é muito competente", disse Rogério Ceni, no momento em que cumprimentava Marcelo Chamusca, do Ceará.

Sétimo gol

Dois centroavantes saíram de campo satisfeitos com seus gols: Gustavo, que chegou ao seu 11º gol pelo Fortaleza e Arthur, que alcançou seu 7º gol. Gustavo não deu entrevista, e saiu de campo extenuado pela correria no jogo. Já Arthur foi muito questionado sobre uma possível titularidade que ele já poderia reivindicar ao técnico Marcelo Chamusca: "Não, o nosso treinador sabe muito bem o momento certo de fazer as mudanças na equipe. Entrar de início ou não, é ele quem decide. Estou feliz em marcar meu sétimo gol, com a colaboração dos meus colegas e num clássico, ratifica o trabalho que realizamos", disse o centroavante alvinegro.

Jogo tático

Para o goleiro do Ceará, Éverson, a partida foi muito bem estudada por ambas as equipes: "Foi um jogo muito tático e com certeza, para o torcedor que veio para o Castelão, valeu a pena. Para o nosso torcedor, de modo especial, foi um jogo vibrante", disse Éverson. "Nosso empate teve um sabor de lição, não de derrota", disse o Marcelo Böeck, goleiro do Leão.



Total de acessos: 235051

Visitantes online: 7