Carregando...

Publicidade

"Cláudio Boy" morava em Fortaleza e, segundo a Polícia, tinha ligações, já comprovadas, com "Gegê" e "Paca". (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Cláudio Boy: Líder do PCC em Minas Gerais está sendo ameaçado na prisão.

06/03/2018

Após as execuções dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), Rogério Jeremias de Simone, o "Gegê do Mangue"; e Fabiano Alves de Souza, o "Paca", em Aquiraz, uma sombra de medo paira sobre os outros membros com poder de decisão. O sentimento foi fortalecido pela execução de Wagner Ferreira da Silva, o "Cabelo Duro", também líder da organização. Os próprios detentos, acham que as mortes não param por aí.

Conforme a defesa de Claudiney Rodrigues de Souza, o "Cláudio Boy", um dos traficantes mais procurados pela Interpol e preso dias após os homicídios, ao tentar desembarcar no Aeroporto de Guarulhos, ele corre risco de morte. O criminoso morava há seis anos em Fortaleza, onde se passava por empresário. Porém, segundo a Polícia, ele é o líder do PCC no Estado de Minas Gerais.

Na última sexta-feira (2), a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou oito nomes de supostos responsáveis pelos assassinatos de "Gegê" e "Paca". Além do bando ligado ao duplo homicídio, a Secretaria informou que Claudiney Rodrigues mantinha contato direto com a dupla.

Para Ramon dos Santos, advogado de "Cláudio Boy", a informação da Pasta é equivocada e pode custar a vida de seu cliente, que está em presídio de segurança máxima, em Minas Gerais.

Em entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste, Ramon dos Santos apontou falhas na investigação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Santos lembrou que "Cláudio Boy" residia em Fortaleza há, pelo menos, seis anos, com identidade falsa, mas sequer conhecia "Gegê do Mangue" e "Paca".

"Disseram que era meu cliente dirigindo um veículo do "Gegê" e entrando no condomínio onde ele morava. Não é ele nas imagens, é o próprio "Paca" quando usava cavanhaque. Agora, meu cliente corre perigo, por conta de uma investigação que não foi aprofundada. "Cabelo Duro" foi morto depois da divulgação de um bilhete que o citava. O próximo pode ser o Cláudio".

Relação

Conforme o titular da Pasta, André Costa, a relação entre o trio está confirmada e, nos próximos dias, policiais da Draco devem ir até Minas Gerais para o colher depoimento de "Cláudio Boy".

Já o advogado pontua que para entrar no condomínio onde "Gegê" morava era necessário cadastrar a digital. Ele afirmou que irá requerer judicialmente análise da digital de Souza, para comprovar que ele nunca esteve no condomínio.



Total de acessos: 238051

Visitantes online: 8