Carregando...

Publicidade

Ao participar da reunião da executiva nacional pedetista, Ciro Gomes afirmou que a prioridade de um eventual governo dele seria superar a desigualdade. (Foto: AE)

À Presidência da República: Ciro Gomes confirmado pré-candidato do PDT.

Ex-governador do Ceará disse ainda que o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) seria 'vice dos sonhos'.

09/03/2018

Brasília/Sucursal. O ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, foi indicado, ontem, por unanimidade, como pré-candidato à Presidência da República pela executiva nacional do PDT.

Para representar o Ceará no Senado, o partido estuda a possibilidade de lançar a candidatura do deputado André Figueiredo e do ex-governador Cid Gomes.

A sigla definiu, também ontem, em Brasília, outros pré-candidatos que disputarão às eleições de outubro nas esferas federal e estaduais.

Durante o evento, o presidente da legenda, Carlos Lupi, disse que a candidatura de Ciro é "irreversível", e o lançamento oficial será no dia 20 de julho, primeiro dia do prazo para a realização das convenções partidárias.

Em coletiva, Lupi contou ainda que esteve com o ex-presidente Lula (PT) e disse que a situação política e jurídica do petista "machucava", mas reforçou a intenção do partido de ter candidato próprio. "Acho que o Lula nesse processo foi injustiçado e machuca vê-lo sofrer".

Questionado por jornalistas, Lupi disse que gostaria de ter o PT apoiando Ciro na disputa presidencial. O pré-candidato comentou as críticas recentes que fez a Lula, mas ponderou que sempre esteve ao seu lado nos últimos anos. "Ao longo de 16 anos, não faltei uma vez com Lula e eu estou vendo o que está acontecendo no País, e o PT tem direito de lançar candidato".

Ciro admitiu que Fernando Haddad é um quadro respeitável, que seria um vice dos sonhos, mas lembrou que ele é do PT e disse que seria desrespeitoso querê-lo como vice se o seu partido terá candidato próprio.

Ciro disse que a prioridade do seu governo, se ganhar as eleições, é superar a desigualdade e a miséria. "O Brasil precisa retomar o desenvolvimento. Estamos perdendo nossos filhos para o crime organizado", disse

Aos jornalistas, Ciro também fez críticas à intervenção federal na área de segurança no Rio.

Para o pedetista, a ação é "politiqueira e mal intencionada".

"Não foi uma intervenção planejada e não tem orçamento".

Visão local

Vários representantes do PDT estadual, como o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque, e o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho, compareceram. O líder do PDT na Câmara, deputado André Figueiredo, disse que Ciro representa esperança. "Estamos trabalhando na busca de novos parceiros e alternativas que sejam viáveis e o Ciro consegue materializar tudo isso", declarou.

Para o deputado estadual Sérgio Aguiar, o eventual impedimento de Lula "abre um leque de oportunidades para Ciro".



Total de acessos: 235363

Visitantes online: 6