Carregando...

Publicidade

Mesmo conseguindo defender uma cobrança, o goleiro Éverson não evitou a eliminação do Vovô. (Foto: Thiago Gadelha)

Em jogo equilibrado no Castelão, Ceará empata em 1 a 1 com o Furacão no tempo normal mas é eliminado nos pênaltis.

16/03/2018

O Alvinegro saiu atrás do placar no início do 1º tempo, empatou a partida, pressionou em busca da virada, mas não evitou decidir a vaga para a 4ª Fase nas penalidades. Nas cobranças, o Vovô errou duas, contra uma do adversário, e acabou eliminado por 6 a 5.

Com a eliminação, o Alvinegro volta suas atenções para o Estadual, no qual já entra em campo no sábado, 17, às 19h30, contra o Uniclinic no Castelão, jogo que pode classificar o Alvinegro para as semifinais.

Com o confronto em aberto após o empate sem gols na Arena da Baixada, em Curitiba e a ausência do critério de gol marcado fora de casa, a partida de ontem no Castelão foi franca, com as duas equipes alternando domínio e bons momentos ao longo nos 90 minutos. E no início da partida quem mandou foi o Furacão, que mesmo como visitante, começou com a posse de bola e atacando.


Jogadores do Ceará cabisbaixos no meio do campo após a derrota nos pênaltis para o Atlético (PR). (Foto: Thiago Gadelha)

Com o domínio inicial, o Atlético/PR criava os melhores ataques e saiu na frente aos 13 minutos: Carleto cruzou da esquerda e Guilherme pegou de voleio e a bola entrou no canto de Éverson: 1 a 0.

Com o gol, o panorama da partida mudou, com o Ceará passando a atacar e o Furacão e se defender. Mas sem a paciência para encontrar espaços, o Ceará se precipitava, arriscando de fora da área mas sem direção.



Foi quando aos 33 minutos, o Vozão empatou a partida: Pio lançou para a área, Arthur escorou de cabeça e Felipe Azevedo completou para o gol: 1 a 1.

Equilíbrio

Na etapa final de jogo, o Ceará voltou melhor, ocupando os espaços no ataque e criando jogadas perigosas até os 10 minutos, uma delas curiosa, em chute de fora da área de Rafael Carioca que desviou no árbitro e quase engana o goleiro Santos, que se vira para defender.

A medida que o tempo passava era nítida a falta de ritmo de jogo do Atlético/PR, que fazia apenas sua 4ª partida no ano, com o treinador Fernando Diniz forçado a realizar três alterações por contusão.

Assim, melhor fisicamente, o Ceará dominou as ações, mas não conseguiu o gol que daria a classificação. E nos acréscimos o Vovô quase era castigado, com o Atlético/PR quase marcando aos 47, mas Lucho perdeu gol feito após rebote na cobrança de falta de Carleto.

Com o novo empate, a decisão da vaga para a 4ªFase foi para os pênaltis. Na primeira série de cobranças, Felipe Azevedo perdeu para o Ceará, mas Éverson salvou, defendendo a penalidade de Carleto, evitando a eliminação e levando para as alternadas. Mas ali não teve jeito, e após Wescley perder, Pavez converteu e eliminou o Vovô.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 235369

Visitantes online: 12