Carregando...

Publicidade

Em palestra em universidade britânica, ex-governador do Ceará fez diagnóstico negativo da realidade econômica brasileira e culpou o atual governo. (Foto: AFP)

Na Inglaterra: Ciro Gomes critica teto dos gastos.

Pré-candidato do PDT classificou a medida de "estupidez" e previu que "milhões de pessoas ficarão sem escola".

28/03/2018

Falmer/Brasília. Durante uma palestra na Universidade de Sussex, em Falmer, a 70 km ao sul de Londres, o pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, criticou a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no governo de Michel Temer, que coloca um teto para o crescimento dos gastos públicos pelos próximos 20 anos.

"A PEC (do teto dos gastos) é estupidez e vamos começar a assistir a selvagerias", disse o pedetista, argumentando que não houve debate sobre o tema com a população e que milhões de pessoas ficarão sem escola por causa disso no futuro.

Ciro destacou também a explosão do endividamento das famílias e das empresas como um dos principais fatores para a paralisia econômica do País.

Ciro fez críticas ainda ao que vê como uma entrada da Justiça brasileira na política, em referência ao juiz federal Sérgio Moro.

"Me incomoda, por definição, juiz dar entrevista. Sou da velha guarda. Um juiz, ao explicitar valores, ele entra na política. Este é o universo da política. O juiz deveria se circunscrever a colocar sua sabedoria jurídica e imparcialidade a serviço dos autos", disse. Ele afirmou achar essa politização da Justiça exótica, em suas palavras."Uma TV Justiça transmitindo ao vivo um julgamento, isso é muito terceiro-mundista, muito provinciano para o meu gosto", disse.



Total de acessos: 145847

Visitantes online: 6