Carregando...

Publicidade

Para doar, o interessado pode comparecer à sede do Hemoce, no bairro Rodolfo Teófilo, entre 7h30 e 13h desta quinta-feira (29), e entre 8h e 16h deste sábado (31). A sede estará fechada na sexta-feira (30) e no domingo (1º). (Foto: Saulo Roberto)

Semana Santa: Bancos de sangue e leite necessitam de doações.

O período do feriado compromete parte das doações de sangue, e bancos de leite também carecem de contribuição.

28/03/2018

Para bancos de coleta de sangue e leite materno, o feriado não é sinônimo de descanso. Hospitais, centros e instituições lançam campanhas com antecedência para garantir os estoques durante o período, e esperam pela adesão da população.

Para ampliar os locais de doação, o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) terá um estande no campus da Universidade de Fortaleza (Unifor) até hoje (28), de 9h às 20h. A unidade está instalada no local desde a segunda-feira (26). "Nos posicionamos lá por ser um ponto distante da nossa sede, e por recebermos muitas solicitações de doadores que moram naquela região. É uma forma de irmos ao encontro da população", explica Nágela Lima, coordenadora da captação de doadores do Hemoce.

Quem preferir comparecer à sede do Centro, no bairro Rodolfo Teófilo, poderá fazê-lo entre 7h30 e 13h desta quinta-feira (29), e entre 8h e 16h deste sábado (31). A sede estará fechada nesta sexta-feira (30) e neste domingo (1º). Para os que não forem viajar durante o fim de semana, porém, o posto de coleta do Hemoce no Instituto Doutor José Frota (IJF) receberá doações de 13h às 17h30 na sexta-feira, sábado e domingo. Quem estiver fora da Capital cearense poderá doar nos hemocentros do Interior do Estado, nos municípios de Iguatu, Crato, Sobral, Quixadá e Juazeiro do Norte.

Convocação

O que torna a Semana Santa um período particularmente complicado para a coleta de sangue, segundo Nágela Lima, é o momento do ano em que está situada. "Esse feriado vem 40 dias após o Carnaval, ou seja, quem doou no Carnaval não vai poder doar na Semana Santa, porque tem um intervalo de dois meses para os homens e três para as mulheres. Além disso, com a chegada das chuvas, ocorre o aumento de viroses, gripes e conjuntivite, e quem está doente ou com processo alérgico ou inflamatório não pode realizar a doação", revela. "O brasileiro já tem o costume de deixar as coisas para a última hora, então a gente sempre faz essa convocação com antecedência. Em especial, gostaríamos de convocar as pessoas com tipos sanguíneos O positivo, que é mais comum entre a população, e O negativo, por ser o doador universal", conclui.

O Hemoce ofereceu uma manhã de serviços na sua sede ontem (27), como parte do projeto "Neste dia, o Hemoce cuida de você". Foram realizados teste de glicemia, aferição de pressão arterial, corte de cabelo, escova, limpeza de pele e maquiagem para o público presente. No dia 7 de março, o Centro lançou, também, a campanha Vidas que Salvam Vidas, com o objetivo de ressaltar a importância da doação de sangue como um gesto que pode ser incentivado de diversas maneiras, tanto doando quanto mobilizando outras pessoas para a ação. A campanha seguirá até o dia 31 deste mês.

Com uma bolsa de sangue, até quatro pessoas podem ser beneficiadas. Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade e mais de 50 kg, estar saudável e bem alimentado. Os menores de idade devem apresentar o termo de consentimento assinado pelos pais ou responsável legal e anexar a cópia de um documento oficial com foto do representante legal. O termo de consentimento está disponível no site www.hemoce.ce.gov.br.

Não menos importantes, as doações de leite materno também acabam sendo reduzidas durante o feriado. A necessidade de manter o estoque de leite é constante, e, por isso, o Hospital Geral Doutor César Cals (HGCC) reforçou o convite às mães que estão amamentando para doarem e, assim, ajudarem os bebês hospitalizados, que dependem exclusivamente do leite materno para se alimentarem. O Banco de Leite Humano do HGCC funciona 24 horas por dia.

No Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), uma equipe estará de plantão durante o feriado para orientar as pessoas que entrarem em contato através dos números de telefone 3101-4189 e 0800-280-4169. Interessados poderão ligar para tirar dúvidas a respeito da amamentação ou para agendar a doação de leite materno. O banco de leite do Hias fica aberto de 7h às 17h, e um motorista é enviado para buscar o material em domicílio.

"Sempre nos feriados grandes, como a Semana Santa e o Carnaval, as mães gostam de curtir a data com a família e fazer uma viagem, e infelizmente o nosso estoque acaba diminuindo. Hoje, por exemplo, nós estamos com o estoque baixo, e o feriado ainda nem começou. É preocupante", lamenta Fernanda Fontenele, enfermeira do banco de leite da Maternidade Escola Assis Chateaubriand (Meac).

A maternidade também já realizou um chamado para estimular mães doadoras a contribuir novamente e indicar a ação para outras mulheres.

"Nós temos uma planilha de arrecadação. A gente passa semanalmente nas casas das mães que já doam para nós. Apesar de termos esse número de doadoras, não tem como garantir essa contribuição regularmente. A gente tenta suprir, pelo menos, a necessidade mínima. Tem um grupo de Whatsapp com essas mulheres, e elas já indicam outras doadoras, uma amiga ou parente. Elas passam o número e a gente faz esse contato", diz Fernanda Fontenele.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Gratificante

A meac receberá doações até amanhã (29), de 7h às 19h. Na sexta-feira, os ambulatórios estarão fechados e só retornam na segunda-feira (2). No dia 29, um motorista fará o recolhimento em domicílio durante a manhã e à tarde, para as mães que já são cadastradas no sistema.

A experiência de doação foi tão positiva para Carla Maciel, de 35 anos, que ela decidiu repetir o ato após dar à luz seu segundo filho. "Eu soube que eles precisavam muito, tinham muitos bebês prematuros que precisavam, e eu vi nas redes sociais um apelo pedindo por doações. Eu esperei o meu bebê completar um mês, vi que ainda tinha bastante leite e aí entrei em contato com eles. Foram bastante solícitos, mandaram motorista com material esterilizado, e aí eu comecei a doar. Hoje minha filha tem 4 anos e o meu segundo filho tem seis meses. Comecei a doar de novo há dois meses", conta.

O motorista vai até a casa de Carla semanalmente para buscar o leite coletado durante sete dias e entregar novos potes para armazenar o leite da semana seguinte. "Eles dão todo o suporte. É muito gratificante por ser um gesto de amor. É uma oportunidade de doar o que a gente recebe de graça", revela Carla. (Colaborou Barbara Câmara)



Total de acessos: 145918

Visitantes online: 31