Carregando...

Publicidade

Arthur marcou o primeiro gol do jogo para o Ceará na vitória sobre o Leão. (Foto: JL Rosa)

Clássico-Rei: Final do Cearense: Vovô em vantagem.

Ceará vence o Leão por 2 a 1, reverte vantagem do rival e joga por um empate no domingo para ser campeão.

05/04/2018

No primeiro jogo da decisão do Campeonato Cearense, deu Ceará. Com dois gols do Arthur, o Alvinegro venceu por 2 a 1 ontem à noite, no Castelão, reverteu a vantagem do rival e joga por um empate no domingo, às 16 horas, para ser bi-campeão cearense. Para o Leão, que diminuiu o placar no fim do 2º tempo, ganha um ânimo para buscar uma vitória simples, por um gol de diferença, para ser campeão no ano de seu centenário.

Ao fim da partida, pelo gol marcado pelo atacante Gustavo aos 41 minutos do 2º tempo, a torcida tricolor saiu comemorando até mais que a alvinegra, decepcionada por perder a vantagem de dois gols que a equipe tinha construído ao fim da etapa inicial.


Autor dos dois gols que garantiram a vitória do Ceará, o atacante Arthur foi o nome do jogo. Pelo lado do Fortaleza, Gustavo também marcou. Durante o segundo tempo, o treinador Rogério Ceni chegou a ser vaiado pelos torcedores. (Foto: JL Rosa e Kid Junior)

O primeiro tempo da decisão foi de domínio alvinegro. Com uma escalação sem surpresas e uma equipe entrosada, o Vovô se aproveitou na melhor condição física e a desorganização da equipe leonina, mais uma vez modificada por seu técnico Rogério Ceni, que também sofreu com os desfalques de Marcelo Boeck, Edinho e Anderson Uchôa.



Assim, com o Leão demorando a se encontrar em campo - embora tenha criado uma boa chance com Osvaldo aos 24 minutos - o Ceará dominou a etapa inicial, valorizando a posse de bola e com paciência.

E aos 35 minutos, o Alvinegro abriu o placar no Castelão: Wescley cruzou na cabeça de Arthur, que tirou de Matheus Inácio e fez a festa da torcida: 1 a 0.

O gol deixou o Ceará ainda mais soberano na partida, criando as jogadas com naturalidade e levando perigo constante ao gol leonino.

Foi quando aos 42 minutos, após cobrança de escanteio de Ricardinho, Felipe Azevedo desviou de cabeça e Arthur, de novo, finaliza com precisão para ampliar: 2 a 0. Foi o 16º gol do jovem atacante alvinegro na temporada.

E a rigor o Leão voltou mais ligado na etapa final, equilibrando a partida. Muito pelas alterações feitas por Rogério Ceni, com as entradas de Wesley e Derley, para as saídas de Diego Jussani e Igor Henrique.

Mesmo com o Ceará ainda melhor nos primeiros minutos, o Tricolor aos poucos foi se organizando e quase diminui aos 14 minutos, em finalização de Gustavo que bateu na trave.

Depois do susto, o Ceará voltou a controlar o jogo e por pouco não ampliou, em duas tentativas de Felipe Azevedo, exigindo duas grandes defesas de Matheus Inácio, que substituiu bem o titular Marcelo Boeck.

A medida que o tempo passava, o Ceará controlava o jogo, mas mais ameaçado por um Fortaleza mais brioso e organizado em campo.

Foi quando aos 41 minutos, em um cochilo da zaga alvinegra, Gustavo fez um gol de raça e botou fogo na decisão do estadual, diminuindo o placar, para grande comemoração da torcida leonina.

Impressões

Ao fim da partida, os tricolores lamentaram o primeiro tempo ruim da equipe, mas a reação que o mantém com chances de título. "Esse gol do Gustavo foi muito importante. Estamos vivos na disputa do título. A torcida saiu comemorando e para nós é ter uma chance clara de ser campeão. Saímos de cabeça erguida. Jogamos por uma vitória simples", disse o volante Derley.

O zagueiro do Ceará, Luiz Otávio, a vitória precisa ser comemorada, mas que há o alerta pelo gol sofrido no fim.

"Não poderíamos ter sofrido esse gol no fim, mas vencemos e conseguimos uma vantagem para o último jogo. Isso precisa ser comemorado e estamos no caminho certo. Nossa equipe fez uma boa partida e esperamos comemorar o título no domingo com outra grande partida da nossa equipe", finalizou o defensor do Ceará.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Arbitragem segura

Poucos cartões

O árbitro Wagner Magalhães fez um trabalho seguro e ao longo dos 90 minutos não prejudicou o resultado da partida. Com um preparo físico bom, o árbitro carioca controlou bem os atletas no Clássico-Rei e deu apenas dois cartões amarelos ao longo do jogo.

Público reduzido

18 mil torcedores

O número de torcedores na Arena Castelão ficou bem abaixo do que o esperado para a primeira partida da grande final. Com um público total de 18.312 torcedores, a expectativa agora é que o número de torcedores sejam bem maior para o próximo jogo, no domingo, às 16 horas.


Total de acessos: 219285

Visitantes online: 6