Carregando...

Publicidade

Governador cearense (e) conversou com o ministro da Segurança Pública (c) e com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (d), sobre o combate à violência. (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Por Segurança no CE: Camilo cobra ação de Raul Jungmann.

06/04/2018

Brasília/Sucursal. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), participou ontem de uma audiência com o presidente do Congresso e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), e o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (PPS), para cobrar agilidade na ajuda do governo federal às ações de combate à violência no Estado.

A reunião durou quase duras horas e ao final o governador Camilo informou que pediu celeridade ao ministro para a instalação do Centro de Inteligência da Polícia Federal no Ceará.

Anunciado no início deste mês em uma cerimônia no estado, o Centro foi um pedido de governadores de estados do Nordeste por causa do crescimento da atuação de facções criminosas na região, mas ainda não saiu do papel.

"A ideia foi discutir a operacionalização da implantação do Centro de Inteligência e também alguns gargalos que estamos enfrentando em relação a falta de armas", disse.

Camilo também pediu apoio do ministro junto ao Exército na liberação de armas para as polícias do Estado. Segundo Camilo, 13 mil armas já foram adquiridas pelo Estado mas aguardam a liberação do Exército. "As armas já foram licitadas o contrato tá assinado mas toda compra de arma precisa de autorização do Exército Brasileiro, por isso vim pedir o apoio do ministro pra agilizar o processo".

O ministro Raul Jungmann prometeu conversar com o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, para destravar a liberação das armas. Apesar da crise de segurança no Ceará, o ministro disse que não há nenhum tipo de solicitação de uma intervenção no estado. "O Ceará vive momentos difíceis, que tem dado preocupação a todos, mas eu acredito que o estado tem força e capacidade para superar esses problemas e vem envidando esforços e dirigindo boa parte de seu orçamento para resolvê-los", afirmou.

Colaborou Carolina Curvello



Total de acessos: 239683

Visitantes online: 4