Carregando...

Publicidade

As precipitações no Cariri cearense foram decisivas para o aporte no Castanhão. (Foto: Antonio Rodrigues)

Reserva Hídrica: Chuvas garantem importantes aportes.

As precipitações mais significativas, de sábado para domingo, foram em Russas (135mm) e Novo Oriente (122mm).

09/04/2018

O alerta do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), que é ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), para ontem, em diversas regiões do País, incluindo o Estado do Ceará, era da possibilidade de ocorrência de tempestade de raios, chuvas intensas e/ou vendaval.

Na realidade, as precipitações registradas no Ceará entre sábado (7) e domingo (8) banharam 62, dos 184 municípios. Embora este número represente apenas 32,6% do total das cidades, a quantidade de água destas chuvas pode ser animadora. Desses Município, em 18 o volume ficou acima de 50.1 milímetros.

E vale destacar que, até o fechamento desta edição, a maioria dos municípios cearenses ainda não tinha repassado seus dados de precipitações à Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), o que significa que estes números de precipitações ainda podem ser alterados.

As maiores chuvas, ocorridas entre as 7h de sábado e as 7h de domingo, segundo as informações no site da Funceme, foram contabilizadas em Russas (135mm), Novo Oriente (122mm), Jaguaretama (86.2mm), Alto Santo (85.8mm) e Morada Nova (85.2mm).

Além desses municípios, outros três tiveram precipitações acima de 75 milímetros. Também nesse intervalo de tempo, pelo menos outras 18 cidades registraram volume de chuvas acima de 25.1mm.

Dados animadores

As águas dessas chuvas garantiram aporte para 50 reservatórios no Estado, dentre eles, os três maiores: Castanhão, Orós e Banabuiú. O Castanhão destacou-se e recebeu 12.4 milhões de metros cúbicos, atingindo 4,44% de seu volume.

Estas precipitações geraram, neste período, um aporte geral de 24.126.559 de metros cúbicos em açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), segundo as informações do Portal Hidrológico, sendo o Castanhão, Orós, Figueiredo, Canoas e Carnaubal, os maiores beneficiados. Na bacia do Salgado, no Cariri, principal responsável pelo aporte de água para o Castanhão, dos 15 açudes, 10 registraram aporte neste fim de semana.

Em relação a este incremento de chuvas, que amenizou a situação nos principais reservatórios do Estado do Ceará, o secretário executivo de Recursos Hídricos, Aderilo Alcântara, destacou que, depois de um período ruim, a situação começa melhorar um pouco e ressaltou que mantém a expectativa de continuidade dos aportes nos médios e grandes reservatórios. "Estamos acompanhando a chegada de águas nos açudes Castanhão e Orós e outros, com esperança de que esses aportes continuem ao longo deste mês e até meados de maio", frisou. Para ele, é fundamental que seja assegurado o abastecimento das cidades até a próxima quadra chuvosa.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Tendência

Alcântara observou que a perda de reservas de água vem se agravando desde 2012, mas que as últimas chuvas nas bacias do Jaguaribe e do Salgado asseguram a continuidade dos aportes por mais alguns dias. "Os rios Salgado e Jaguaribe registram cheia e a tendência é de aumento do nível do Orós e do Castanhão no decorrer da semana que se inicia", disse.

Com as chuvas do fim de semana, o Orós, segundo maior reservatório do Estado, atingiu 6,95% de seu volume, com um aporte de 3.859.735 de metros cúbicos. O açude Figueiredo, localizado no Médio Jaguaribe, teve incremento de 1.103.388 de metros cúbicos, seguido pelo Açude Canoas, no Alto Jaguaribe, com 807.950 m³ e o Carnaubal, nos Sertões de Crateús, com 679.434 m³.

Já o Açude Arrojado Lisboa (Banabuiú), terceiro maior reservatório cearense, com capacidade para 8.116.768 de metros cúbicos de água, teve 643.639 m³ de aporte e alcançou o volume de 0,51%. Atualmente, segundo as informações da Cogerh, dos 155 açudes do Ceará monitorados, dez estão sangrando (Acaraú Mirim, Barragem do Batalhão, Caldeirões, Cocó, Colina, Germinal, Itaúna, Maranguapinho, Tijuquinha e Tucunduba) e três estão com volume acima dos 90 % (Curral Velho, Germinal e São Vicente).

No total, os reservatórios monitorados estão com volume de 1,77 bilhões de metros cúbicos, o que representa 9,52% da capacidade. No início da quadra chuvosa, em fevereiro, este volume, segundo dados da Cogerh, era de 6,6%. No início de março, estava em 8,2%.

Por outro lado, outros 106 ainda estão com volume abaixo de 30%, sendo 31 no volume morto e 23 completamente secos, o que revela a irregularidade da ocorrência de chuvas no território cearense.

O boletim da Cogerh informa, também, que este último aporte permitiu que o Açude Carnaubal deixasse o volume morto e que o Monsenhor Tabosa deixasse de estar seco.

Previsão

O site da Funceme destaca que as análises das imagens de satélites demonstraram que há nebulosidade sobre todo o Estado do Ceará. Diante deste quadro, a previsão para esta segunda-feira é de predomínio de céu nublado com chuva em todas as regiões do Estado. Já para a terça-feira (10), a projeção é de céu nublado com chuva em todas as regiões no decorrer do dia.

As imagens do satélite GOES-16, das 8h30 de ontem, mostravam nebulosidade sobre todo o Estado do Ceará. Na costa leste do Nordeste, observa-se um Cavado de Altos Níveis (CAN), sistema de baixa pressão com circulação horária a aproximadamente 12 quilômetros de altura; e próximo à costa norte do Nordeste, áreas de instabilidade associadas à Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), banda de nuvens que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, formada pela confluência dos ventos alísios do Hemisfério Norte com os ventos alísios do Hemisfério Sul, que é o principal sistema indutor de chuvas em nossa região. Esse é o padrão observado nos últimos dias.



Total de acessos: 175813

Visitantes online: 31