Carregando...

Publicidade

Ceará possui o 11º maior número de pessoas aplicando na B3. (Foto: Marcelo Coelho)

Investimento: Cearenses possuem R$ 1,78 bilhão em ações.

Número de investidores do Estado é crescente e atingiu a marca de 8,3% de expansão entre janeiro e março de 2018.

10/04/2018

Com mais de 8 mil pessoas físicas cadastradas na Bolsa de Valores, o Ceará é uma das 12 unidades da Federação com mais de R$ 1 bilhão aplicado no mercado de ações, ficando na 11ª posição, segundo dados da B3 - atual nome da bolsa brasileira. O Estado fechou o mês de março com 8.269 Cadastros de Pessoas Físicas registrados, sendo 6.740 de homens e 1.529 de mulheres, com o valor total investido de R$ 1,78 bilhão, que representa 0,92% do mercado de ações brasileiro (R$ 192,65).

Apesar da baixa participação, o número de investidores cearenses cresceu 8,3% neste ano, enquanto no País, o incremento foi de 5,3%. E a expectativa é de que o interesse do investidor local cresça na medida em que investimentos tradicionais, com rendimentos atrelados à taxa básica de juros, vão perdendo atratividade por conta dos recentes cortes na Selic, mas, sobretudo, pela entrada de empresas cearenses na bolsa brasileira.

Está prevista para este mês a oferta pública inicial (IPO na sigla em inglês) da operadora de saúde Hapvida, que pode movimentar R$ 2,82 bilhões, conforme documento protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), considerando o preço médio de R$ 23,04, da faixa indicativa de preço para sua oferta inicial, de R$ 20,41 a R$ 25,66 por ação, conforme definido no último dia 3. Segundo a coluna do Broad, do Estadão, a precificação da empresa deve sair no próximo dia 23. Hoje, a única empresa genuinamente cearense listada em bolsa é a M. Dias Branco.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Atração

A proximidade do cearense com essas empresas, como consumidor, é vista como um dos fatores que podem atrair novos investidores. "A primeira consequência de um IPO desse porte é a de despertar o interesse do investidor local. Quem não tem contato com esse mercado passa a olhar com mais atenção", diz Raul dos Santos Neto, presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Ceará (Ibef-CE). "Mas outro fator que eu considero muito positivo é o de chamar atenção para outros empresários que também queiram fazer um IPO, até porque se você olhar pelo critério de faturamento, há outras empresas cearenses que poderiam estar na bolsa". O Grupo Pague Menos, um dos maiores do Brasil no setor de farmácias, por exemplo, já vem anunciando há alguns anos a intenção de fazer seu IPO, o que mostra a força do mercado local.

Oportunidade

Para o economista Ricardo Eleutério, especialista em mercado de capitais, o IPO da Hapvida pode ser uma oportunidade para o investidor local diversificar seus investimentos. "Com esse cenário de queda de juros, o IPO do Hapvida pode ser uma oportunidade para aqueles investidores que têm um grande valor em renda fixa migrar um pouco para renda variável, em busca de uma maior rentabilidade". Desde o início do ciclo de queda da Selic, as principais opções de investimentos dos brasileiros, como a Caderneta de Poupança e os títulos de renda fixa, como o CDI, CDB e Tesouro Direto, vem perdendo atratividade.

No entanto, Eleutério considera que a participação tanto do brasileiro, em geral, como do cearense, em particular, no mercado de capitais, ainda é muito pequena, mas que a tendência diante do cenário econômico é de crescimento. "Um IPO de empresa cearense é um estímulo a mais para novos investidores e pode ser um elemento motivador", afirma o economista.

Passo-a-passo para investir

1. Conheça o seu perfil

Saber se você é um investidor conservador, moderado ou arrojado é fundamental, já que para o conservador, por exemplo, investir no mercado de ações pode não ser a melhor escolha.

2. Escolha uma boa corretora

Pesquise os serviços de corretagem disponíveis e conheça as taxas cobradas. Uma escolha ruim pode causar transtornos e prejuízos.

3. Diversifique os aportes

A estratégia evita que, em caso de perda, o investidor perca todo o seu capital de uma vez só. Entretanto, a medida deve ser adotada com certos limites.

4. Controle sua carteira

Ter uma carteira de investimentos muito ampla pode dificultar o controle do dinheiro. Especialistas indicam ter entre 8 e 10 ações em uma carteira.

6. Busque a liquidez

Garanta a liquidez em seus investimentos, procurando ações que permitem uma venda futura com facilidade.

7. Cuidado com países exóticos

Empresas em países emergentes, com um histórico limitado de desempenho sólido no mercado geralmente possuem maiores riscos. O investimento pode não ser vantajoso.



Total de acessos: 240070

Visitantes online: 1