Carregando...

Publicidade

Senador Aécio Neves (PSDB-MG) poderá se tornar réu em denúncia de crime de corrupção passiva. (Foto: Agência Brasil)

Adiamento Negado: Denúncia contra Aécio será analisada na próxima terça.

13/04/2018

Brasília. O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, em decisão tomada ontem, manteve a análise da denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para a próxima terça-feira.

A Primeira Turma da Corte decide nesse julgamento se torna réus o senador, sua irmã Andrea Neves, seu primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (MDB-MG) pelo crime de corrupção passiva.

O caso, em que Aécio ainda é denunciado por obstrução de justiça, é do inquérito instaurado em maio de 2017, com base na delação da JBS.

Na quarta-feira (11), a defesa de Andrea havia pedido ao STF o adiamento da análise do caso. A defesa da irmã do senador requereu que o julgamento fosse adiado para o dia 24 de abril, uma vez que, na mesma data e hora, o advogado do caso comparecerá ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para realizar sustentação oral na apreciação de habeas corpus de outro cliente.

Por meio de petições, as defesas dos demais acusados não se opuseram ao pedido.

Para o ministro Marco Aurélio, o pedido não está acompanhado de justificativa relevante. "Consoante consignado nas informações, além do advogado que firmou o requerimento, há mais oito habilitados no processo revelador do habeas corpus em curso perante o STJ", disse.



Total de acessos: 97761

Visitantes online: 26