Carregando...

Publicidade

A tendência é que nos meses de abril e maio os preços continuem subindo, conforme a aproximação ao evento, mas não deve atingir o pico de outubro. (Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Em Março: Busca de bilhetes para a Rússia cresce 137% no CE.

Simulação mostra que voos de Fortaleza a Moscou ainda podiam ser encontrados a partir de R$ 4.515.

18/04/2018

Com a proximidade do início dos jogos da Copa do Mundo na Rússia, em junho, mais cearenses estão em busca de passagens aéreas para o país com o objetivo acompanhar o evento de perto. Segundo levantamento do Kayak Brasil, a procura de bilhetes aéreos com saída do Aeroporto Internacional Pinto Martins e chegada nos terminais russos cresceu 137% em março em comparação ao mês anterior.

De acordo com os dados da plataforma, o preço médio dos bilhetes de Fortaleza à Rússia foi calculado em R$ 4.995,44 no mês passado, quase R$ 300 a mais que o valor médio de fevereiro (R$ 4.703,52), período em que a procura havia caído 60% ante o mês anterior. Mas desde setembro, quando as buscas a partir de Fortaleza passaram a ficar mais expressivas, foi o mês de janeiro que registrou o menor valor médio para o trecho (R$3.886,80).


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Variação

Em uma simulação feita ontem (17) pela reportagem, voos da Capital cearense para São Petersburgo podiam ser encontrados por valores a partir de R$ 4.831 e, para Moscou, de R$ 4.515, considerando a ida no dia 13 de junho, véspera da abertura dos jogos, e retorno no dia 22 do mesmo mês. Os valores ainda estão bem abaixo que a média calculada em outubro passado, quando foi registrado o pico de R$ 8.714,96.

A tendência é que nos meses de abril e maio os preços continuem subindo, conforme a aproximação ao evento, mas avaliação do Kayak Brasil é que dificilmente eles cheguem novamente ao pico registrado em outubro. O segundo valor mais alto para as passagens registrado no período pesquisado foi em novembro, quando a média chegou ao patamar de R$ 6,336.96.

No levantamento, foram consideradas buscas por voos de ida e volta na classe econômica saindo de Fortaleza com destino a todos os aeroportos da Rússia entre 12 de junho e 16 de julho de 2018, pesquisados por clientes entre setembro de 2017 a março de 2018. Os valores apresentados são uma média dos preços disponíveis, estando sujeitos a alterações e a disponibilidade pode ser limitada.

Comportamento

"De setembro para outubro tivemos o salto mais relevante de preços e procura, por conta do anúncio, no dia 12 de setembro, da venda de ingressos, o que deixou a Rússia mais em evidência e fez com que o mercado se agitasse em torno dela. Após esse pico, os preços foram normalizando e voltaram a crescer em fevereiro, conforme o evento se aproxima - quanto mais próximo da data, mais caras tendem a ficar as passagens, especialmente para eventos especiais como a Copa", analisa Eduardo Fleury, líder de operações do Kayak.

Ele ainda informa que a demanda "apresentou queda no começo deste ano, sugerindo que parte dos viajantes que aspiravam a acompanhar a seleção na Copa compraram suas passagens no final do ano passado e outra parte tenha aberto mão da viagem, por questões pessoais ou financeiras".

Procura cresce 1.150%

Considerando a busca de passagens para a Rússia a partir de todos os aeroportos brasileiros, o levantamento do Kayak Brasil mostra ainda que a procura por passagens para a sede da Copa do Mundo de Futebol desde junho de 2017, um ano antes do Mundial, cresceu 1.150%. O estudo aponta, ainda, uma alta de 76,6% no preço médio de passagens aéreas, comparando-se a média de junho de 2017 com a de março deste ano.

Em âmbito nacional, o preço médio de passagens ficou mais salgado em setembro, quando a venda de ingressos foi anunciada. Nesse mês, o preço chegou a ficar 100% mais alto em relação a junho do mesmo ano. Segundo a plataforma, com o anúncio da data de início da venda de ingressos, a Rússia ficou mais em evidência e a agitação do mercado em torno do destino impactou o preço das passagens aéreas.

"A tendência é que, nos próximos meses, conforme a Copa se aproxima, os preços continuem aumentando - sem, no entanto, chegar ao pico em que estiveram ao outubro do ano passado, pouco após o anúncio da venda de ingressos", completa o líder de operações da Kayak Brasil, ao justificar apontando que a demanda, contudo, deve cair um pouco, pois como a viagem para Rússia é mais cara do que os destinos internacionais mais populares entre os brasileiros.



Total de acessos: 218142

Visitantes online: 7