Carregando...

Publicidade

Cerimônia militar teve a presença do general Villas Bôas (d) e de Michel Temer (e); o comandante do Exército reclamou da defasagem salarial da tropa. (Foto: Agência Brasil)

Exército: não podemos ficar indiferentes à impunidade.

20/04/2018

Brasília. Em mensagem durante comemorações do Dia do Exército, o comandante da Força, general Eduardo Villas Bôas, disse, ontem, que "não podemos ficar indiferentes aos mais de 60 mil homicídios por ano, à banalização da corrupção, à impunidade e à insegurança ligada ao crescimento do crime organizado e à ideologização dos problemas nacionais". Em sua fala, feita ao lado do presidente Michel Temer e de representantes dos três Poderes, o general afirmou que "são essas as reais ameaças à nossa democracia".

Após citar seguidas crises enfrentadas pelo País, o general pregou o entendimento nacional após as eleições. "Nas eleições que se aproximam, caberá à população definir, de forma livre, legítima, transparente e incontestável a vontade nacional".

O comandante do Exército também se queixou do orçamento apertado e baixos salários. "Nossa Força caminha em meio a dificuldades e desafios, entre os quais estão um orçamento aquém dos imperativos de suas missões e a defasagem salarial de seus soldados em relação às demais carreiras de Estado, obstáculos que não desviam os militares do propósito de estar, exclusivamente, dedicados e prontos para defender a Pátria".

Em seu discurso, Temer falou da ação dos militares, particularmente no Rio, pontuando o combate "à ação intolerável" ao crime organizado.



Total de acessos: 239335

Visitantes online: 1