Carregando...

Publicidade

Segundo estimativas da SMS, em apenas cinco dias de campanha, iniciada na última sexta-feira, 20% do público-alvo da mobilização já foram imunizados em Fortaleza. (Foto: Fabiane de Paula)

Fortaleza: Vacinas se esgotam, e novas doses só chegam no sábado.

Alta procura causou desabastecimento nas unidades da Capital. Em cinco dias de campanha, 140 mil se vacinaram.

25/04/2018

A corrida em busca da vacina contra a Influenza, incluindo o vírus H1N1, fez com que os estoques dos postos de saúde de Fortaleza quase zerassem nessa terça-feira (24). Em várias regiões da cidade, pessoas se aglomeraram nas unidades na espera para receber a imunização, mas, já no início da tarde de ontem, foram informadas sobre o fim das doses disponíveis. Mesmo com a alta demanda, a previsão da secretaria municipal de saúde (SMS) é que um novo lote só chegue aos postos no próximo sábado (29). Enquanto isso, grande parte das unidades deve suspender a vacinação.

A informação é da coordenadora de imunização do município, Vanessa Soldatelli. Segundo estimativas da SMS, em apenas cinco dias de campanha, iniciada na última sexta-feira (20), pelo menos 140 mil pessoas receberam a imunização em Fortaleza, número que representa cerca de 20% do público-alvo da mobilização. Além da procura intensa pela vacina, a coordenadora destacou que os problemas na fabricação do medicamento pelo Instituto Butantan registrados no começo deste mês, que acarretaram o adiamento da campanha para o fim de abril, prejudicaram o processo de abastecimento.

"Recebemos hoje de manhã 31 mil doses, o que, para fortaleza, é um quantitativo bem pequeno. Só vão liberar novas doses na sexta-feira, e no sábado disponibilizaremos para as unidades", explicou Soldatelli. "os postos que ainda têm doses vão continuar vacinando enquanto puderem. Alguns hospitais também continuam. Mas, infelizmente, as pessoas vão ter que ter compreensão para aguardar", acrescentou a coordenadora.

Soldatelli não soube informar quantas e quais unidades ainda possuem vacinas disponíveis. No entanto, ela afirmou que postos de saúde de maior porte, como o Centro de Saúde Carlos Ribeiro, no bairro Jacarecanga, e o posto Paulo Marcelo, no Centro da cidade, podem ter doses remanescentes.

Filas

Por volta das 16h de ontem, no posto Miriam Porto Mota, no bairro Dionísio Torres, o estoque da vacina já havia se esgotado. Na unidade, funcionários informavam a usuários que novas doses chegariam nesta quarta-feira (25), mas não forneciam previsão de horário para a chegada do lote. O comerciante Francisco Rocha Lira foi um dos que deixaram o local sem se vacinar. "vou tentar de novo em outro posto amanhã. Perdi a manhã e a tarde toda esperando. As pessoas estão preocupadas, então deveria ter vacina", afirmou.

Já no posto Irmã Hercília Lima Aragão, no São João do Tauape, após um estoque de 500 vacinas zerar pela manhã, 50 doses extras chegaram no período do tarde, remanejadas de outra unidade. Os medicamentos foram suficientes apenas para atender a grande fila de espera no local. Segundo a coordenadora do centro, Eli Lima, mais de 1.000 vacinas estão sendo aplicadas por dia no equipamento de saúde. "estamos recebendo muitas pessoas fora dos grupos prioritários, mas também temos vacinado muitos idosos. Abrimos no fim de semana e vacinamos assustadoramente", disse.

Até o momento, Fortaleza já recebeu 212 mil doses de um total de 630 mil que devem ser encaminhadas pelo Ministério da Saúde à Capital até o fim da campanha, marcado para o dia 1º de junho. Os demais lotes devem chegar gradativamente nas próximas semanas. Conforme Vanessa Soldatelli, a SMS tenta negociar, junto à pasta federal, um maior quantitativo de doses para a Capital.


A procura por vacinação continua intensa nos postos de saúde da Capital; as unidades que zerarem seus estoques deixaram de fazer o atendimento até que ocorra a reposição. (Foto: Fabiane de Paula)

Campanha atípica

A coordenadora afirma que a campanha de vacinação deste ano tem sido "atípica" em relação às de anos anteriores. "Nos anos anteriores, até o dia "D", vacinávamos 5%, 10% da população. Esse ano, já recebemos 30% das doses antes do dia "D". A demanda é muito grande e podemos considerar isso positivo, porque significa que as pessoas estão procurando a imunização. O problema é que não estamos conseguindo atender por conta do quantitativo", ressaltou Vanessa Soldatelli.

Em nota, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) confirmou que um novo lote de vacinas está previsto para chegar na próxima sexta (27). Conforme o órgão, 855 mil doses já foram repassadas pelo Ministério da Saúde ao Ceará, o que corresponde a 37% do total esperado para a campanha. A Sesa destacou que "a liberação de vacinas para as coordenadorias regionais de saúde (Cres), que por sua vez as encaminham para os municípios, é feita de acordo com a chegada dos lotes enviados pelo Ministério da Saúde à Sesa".

O órgão informou que aguarda a atualização de dados sobre o número de pessoas vacinadas no Estado. Entretanto, adiantou que, no posto de saúde Meireles, vinculado à Secretaria, cerca de 5.600 foram imunizadas contra a doença em apenas três dias. Em todo o período da mobilização no ano passado, 12.000 pessoas se vacinaram no local.

Apesar dos problemas de abastecimento, Vanessa Soldatelli esclareceu que todas as pessoas dos grupos prioritários serão vacinadas até o fim da campanha. "as pessoas não precisam correr para os postos. Conforme formos recebendo novas doses, vamos comunicando a população para que procurem novamente os postos", observa a gestora municipal.

A meta no Ceará é vacinar 2,28 milhões de pessoas pertencentes aos grupos prioritários, formados por crianças de seis meses a cinco anos de idade, idosos, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, professores, povos indígenas, pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional e portadores de doenças crônicas.



Total de acessos: 214360

Visitantes online: 5