Carregando...

Publicidade

Expectativa é de que os feirões de cassa própria movimentem o setor da construção no Estado e ajudem na retomada das construtoras neste ano. (Foto: Fabiane de Paula)

Caixa Econômica e Sinduscon: Feirões da casa própria vão ajudar a reduzir estoque em 50%.

Eventos devem ser realizados tanto no primeiro quanto no segundo semestre deste ano.

26/04/2018

Focado na expectativa de reduzir até o fim deste ano 50% do total de seus estoques - que soma hoje em torno de 10 mil unidades na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) -, o setor da construção civil cearense se prepara para alavancar vendas a partir de dois grandes eventos: o Feirão Caixa da Casa Própria e um feirão realizado pelo Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE).

A estimativa é que o Feirão da Caixa seja realizado em Fortaleza, de 23 a 25 de maio, porém, a Caixa Econômica não confirma as datas. Já o feirão assinado pelo Sinduscon está previsto para acontecer ao longo de três dias no próximo mês de agosto. Porém, local e data ainda estão em análise.

Atrativos

Um dos principais atrativos do Feirão da construção civil local é que, além da Caixa Econômica Federal, vai contar com a participação de outros bancos, ampliando assim a oferta de financiamentos imobiliários ao público. "Esse feirão vai agregar muitos imóveis de todos os tipos e de valores variados. E ainda vamos convidar todos os bancos que financiam a casa própria, gerando uma concorrência sadia entre eles", afirma o presidente do Sinduscon-CE, André Montenegro.

Cadeia produtiva unida

Outro diferencial do feirão do Sinduscon é que não somente as construtoras estarão presentes. A meta é reunir toda a cadeia produtiva no mesmo espaço, incluindo incorporadoras, fornecedores de produtos e serviços, empresas de design e até de eletrodomésticos da chamada linha branca, como geladeiras, fogões, micro-ondas, freezers, etc.

"É um feirão diferente, onde a gente quer concentrar 80, 100 empresas e quem mais quiser participar. O sujeito poderá sair de lá com o seu imóvel já com a ambientação e móveis contratados", afirma André Montenegro, ressaltando que uma primeira enquete realizada pelo Sindicato já revelou uma adesão considerável das construtoras.

Retomada

Embora não crave números quanto ao retorno financeiro esperado do feirão, Montenegro garante que o evento - assim como o Feirão da Caixa - vem para movimentar o mercado imobiliário da Cidade, hoje em plena retomada. "Em um momento desses, temos que nos unir e esse evento tem mesmo que movimentar toda a cadeia. O mercado está começando a retomar e vamos fazer um esforço grande para fechar 2018 diminuindo os estoques em 50%". Além de entrar em contato com as empresas e com as instituições financeiras, o Sindicato vai buscar parceiros da iniciativa privada para viabilizar o evento.

Tendo em vista o processo ainda lento de retomada da economia e as incertezas no cenário político, o presidente do Sinduscon diz ser cedo para traçar uma expectativa de crescimento para o setor este ano.

Caixa

No ano passado, o Feirão Caixa da Casa Própria movimentou R$ 10,2 bilhões em negócios em todo o Brasil. Em Fortaleza, foram movimentados R$ 9,9 milhões, segundo o banco. Na ocasião, foram disponibilizados para comercialização 9,8 mil imóveis, por preços que variavam de R$ 130 mil a R$ 3 milhões.

No último dia 16 de abril, a instituição financeira facilitou a assinatura de novos contratos de financiamentos no Brasil, reduzindo as taxas de juros e aumentando de 50% para 70% o teto do valor do imóvel usado a ser financiado. A Caixa Econômica informou possuir R$ 82,1 bilhões disponíveis para o crédito habitacional este ano. O banco retomou o financiamento de operações de interveniente quitante, com produção financiada por outros bancos. A cota, para casos como este, é de até 70%.



Total de acessos: 145441

Visitantes online: 27