Carregando...

Publicidade

Pacote de ações do Governo do Estado pretende deixar as vias mais seguras. (Foto: Kiko Silva)

Acidentes de trânsito com mortes no Ceará reduzem em 27%, de acordo com Detran.

Governo e Prefeitura de Fortaleza aderem à campanha internacional

08/05/2018

Houve uma redução de 27% no número de mortes nas estradas do Ceará, no período de dezembro de 2014 a dezembro de 2017, de acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O dado foi divulgado nesta segunda-feira (7), em evento do Governo do Estado que anunciou o pacote de investimentos em estradas.

O Governo adere à campanha internacional "Maio Amarelo", chamando atenção para a prevenção de acidentes de trânsito no Estado. O pacote de investimento nas estradas, denominado de "Ceará de Ponta a Ponta", também é uma das ações para deixar as estradas mais seguras.

Prefeitura também participa do Maio Amarelo

Pensando na segurança dos pedestres no trânsito diário na Capital Cearense, a Prefeitura de Fortaleza com o apoio da Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global lança a campanha "Maio Amarelo" que, este ano, tem como tema "Nós somos o trânsito, somos todos pedestres”. Realizada em vários países, a campanha local foi lançada em evento no Paço Municipal, na manhã desta segunda-feira (7).

O objetivo, de acordo com a Prefeitura, é oferecer uma melhor Infraestrutura e mais garantias para os usuários mais vulneráveis no trânsito.

O Relatório Anual de Acidentes de Trânsito de 2017 mostra que o número de pedestres que perdem a vida em Fortaleza tem diminuídos nos últimos seis anos. Passou de 171 pessoas mortas por atropelamento em 2011, para 96 óbitos em 2017. Ou seja, a redução foi de 56% se comparados os dois períodos. Apesar disso, ainda há casos que podem ser evitados.

Pequenas ações no trânsito, como o ato de atravessar a rua, podem acarretar em um acidente com atropelamento. Com foco principalmente no pedestre, a Prefeitura pretente diminuir esses casos.

”Apesar da redução, isso ainda é um drama terrível que deixa muitas famílias marcadas por anos e que não podemos tolerar. Essas informações são fundamentais, por que nos ajudam a traçar um raio-x do problema e a partir daí buscar soluções mais eficientes para prevenir esses acidentes” explica o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia.

A maioria das vítimas que morrem em acidentes de trânsito é idosa, com mais de 60 anos e que sofre acidente a uma distância de 1km de casa. Os bairros que mais concentram ocorrências estão nas regionais um, cinco e seis. Ainda segundo o estudo, a maioria dos casos (43,7%) dos atropelamentos são realizados por motociclistas, seguidos por automóveis (39,4%).

A implantação de binários, a extensão da malha cicloviária, a renovação de sinalização, travessias elevadas distribuídas em pontos críticos de todas as Regionais e outras intervenções são citadas pela Prefeitura como ações que tentam reduzir o número de acidentes.



Total de acessos: 239615

Visitantes online: 1