Carregando...

Publicidade

O seminário "O Ceará que será em 2050" ocorre hoje e amanhã, no Centro de Eventos, e contará com representantes da academia. (Foto: Reinaldo Jorge)

Estratégias: Projeto Ceará 2050 busca acelerar o desenvolvimento.

Seminário é extensão do programa do Governo do Estado e pede participação da sociedade civil.

15/05/2018

Nesta terça-feira (15), começa o seminário "O Ceará que será em 2050", que deverá discutir as estratégias para os próximos 30 anos do processo do desenvolvimento do Estado, levando em consideração questões sociais, econômicas e ambientais. O objetivo é acelerar o desenvolvimento do Ceará. E segundo o professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e coordenador do evento, José de Paula Barros Neto, se houver um trabalho conjunto de todos os envolvidos, o Ceará poderá, ao fim do programa, chegar ao patamar tecnológico suficiente para competir com grandes centros comerciais em todo o País, como São Paulo e Rio de Janeiro.

O seminário é realizado hoje e amanhã, no Centro de Eventos do Estado (CEC), localizado no bairro Edson Queiroz, na Capital do Estado.

De acordo com o ex-coordenador do Centro de Tecnologia da UFC, no entanto, para que todas as metas do programa sejam atingidas, é preciso que haja cooperação de toda a sociedade. Parte importante do processo, para Barros Neto, sem a participação coletiva e envolvimento de todos não há como definir as metas para desenvolvimento sustentável estadual.

"Nós estamos no trabalho de coordenação e essa perspectiva vai nascer dos dados analisados, e dos dados levantados nós podemos ter um arcabouço teórico para fazer algumas escolhas para o Ceará, gerando perspectiva de futuro. Mas vamos ter um debate com a sociedade para que possamos, justamente, definir essa visão", disse.

Apesar de ainda não possuir metas completamente definidas e, por consequência, não ter uma perspectiva geral do fim do programa Ceará 2050, que gerou o seminário, Barros Neto acredita que o Ceará vem demonstrando potencial para competir com os grandes centros, nos próximos 30 anos.

A análise é baseada a partir das chegadas dos últimos investimentos assegurados para o Estado, como os cabos de conexão intercontinental da Angola Cables, e os novas estruturas de data centers construídas nos últimos anos. "Eu acho que, se trabalharmos conjuntamente, podemos chegar a um patamar de competir com os grandes centros de tecnologia não apenas no Brasil, mas também no mundo, até por todo o potencial que conseguimos juntar nos últimos anos, considerando, também, os novos investimentos que recebemos para o Estado", afirmou.

Planejamento

Extensão do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Longo Prazo - Ceará 2050, lançado em outubro pelo governador Camilo Santana, o seminário "O Ceará que será em 2050" vai reunir representantes da Fundação de apoio a Pesquisas no Ceará e Nordeste (Astef) e Universidade Federal do Ceará (UFC), além de cerca de mil convidados.

Desde o lançamento do Ceará 2050, de acordo com o Chefe do Gabinete do Governador, Élcio Batista, a UFC tem feito "os estudos necessários para investigar o Ceará dos últimos 30 anos, bem como a radiografia do presente, tentando identificar as potencialidades que temos hoje e quais são os nossos desafios".

O evento também tem o interesse de reunir a sociedade civil, aliada às discussões conduzidas pelos pesquisadores e representantes do Estado no Centro de Eventos do Ceará. As inscrições e o seminário são gratuitos.



Total de acessos: 162074

Visitantes online: 21