Carregando...

Publicidade

O segmento de acessórios e adereços deve ser um dos mais beneficiados durante o período da competição esportiva. (Foto: Lucas Moura)

Jogos e Comércio: Venda 15% maior; abertura é facultativa,

Lojas deverão funcionar normalmente durante o campeonato, com mudanças facultativas nos jogos do Brasil.

18/05/2018

Os jogos da Copa do Mundo da Rússia devem aquecer o comércio da Capital. De acordo com o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL), Assis Cavalcante, é esperado um crescimento nas vendas de 10% a 15%, dependendo do segmento. "Os setores mais promissores são os de souvenirs, bares, restaurantes e supermercados. A nossa ideia é atrair os consumidores para os shoppings e Centro da Capital, fazendo toda uma festa nestes lugares".

Segundo o professor da Faculdade CDL, Christian Avesque, a previsão de gasto médio nos supermercados gira em torno de R$ 250. "Isso acontece porque a Copa se tornou um evento de amigos e familiares. As pessoas se reúnem em bares, restaurantes e em casa para ver os jogos e consumir", explicou ele durante encontro que reuniu representantes dos shopping centers e comércio de rua na sede da CDL.

De acordo com Avesque, o ambiente macroeconômico é favorável para consumo nesta época da Copa. "A confiança do consumidor deu uma subida. O índice está em 99 pontos e há um ano estava em 87 pontos. O consumidor ainda está receoso e não está tomando dívidas a longo prazo".

"A gente precisa aproveitar a Copa do Mundo, Dia dos Namorados e São João para trabalhar com o espírito motivacional para manter esta confiança. Estamos com um clima razoavelmente positivo", destacou o professor da CDL, ao acrescentar que a alta estação também deve contribuir para uma movimentação maior do comércio.

"Os hotéis estão prevendo uma ocupação de 95% a 99% por conta da alta do dólar e os turistas estão optando por viajar pelo Brasil". Além disso, o endividamento está apontando para uma tendência de queda. "O endividamento do fortalezense chegou a 70% dos consumidores, porém o valor médio não é alto e gira em torno de R$ 2 mil".

Horário de funcionamento

Em reunião realizada ontem na sede da CDL Fortaleza, representantes dos shopping centers da Capital decidiram que na abertura da Copa do Mundo as lojas funcionam normalmente, das 10h às 22h. Nos dias de jogos da seleção brasileira, o funcionamento durante as partidas é facultativo. Os empresários podem baixar as portas meia hora antes do jogo e reabri-las meia hora depois. O esquema vale para as disputas que ocorrem às 15h. Para os jogos de 9h da manhã, os shoppings abrem normalmente logo após o término das partidas em que o Brasil estiver competindo. As praças de alimentação seguem o fluxo normalmente, sem interrupção das atividades. De acordo com a categoria, haverá telões nos ambientes e programação específica para animar os consumidores.

Sobre as lojas de rua da Capital, ainda não foi decidido o horário de funcionamento. A recomendação da CDL é para as lojas abrirem normalmente. Segundo Cavalcante, haverá telões na Praça do Ferreira nos dias de jogos do Brasil. "A ideia é ter entretenimento durante todo o dia nos jogos da Seleção, tanto no Centro quanto nos shoppings", completou.

Estudo

A um mês do início da Copa do Mundo, a expectativa é de que o evento esportivo movimente a economia brasileira, mesmo à distância. Um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que três em cada dez (33%) micro e pequenos empresários dos ramos do comércio e serviços estimam que as vendas dos setores aumentem na Copa. Outros 19% enxergam uma queda no volume de vendas, enquanto 47% acham que o torneio não terá impacto no resultado. Entre os que projetam crescimento nas vendas da própria empresa, a estimativa é de que o volume médio de vendas seja 27% superior ao mês anterior do mundial.

Na percepção da maioria dos empresários entrevistados, esse otimismo refere-se ao aumento do faturamento, principalmente, em setores que lucram com o consumo sazonal de produtos nesta época e estão diretamente ligados ao evento, como souvenirs (80%), comércio informal (72%), bares e restaurantes (68%), supermercados (66%), comércio eletrônico (57%) e transporte (51%). "A Copa do Mundo sempre injeta ânimo na economia e deve aquecer, sobretudo, os setores do comércio e serviços, que encontram uma oportunidade gerada pelo clima de euforia das torcidas", destacou o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Saiba mais

Setor com maior Aumento nas vendas no país:

Souvenirs: 80%

Comércio informal: 72%

Bares e restaurantes: 68%

Supermercados: 66%

Comércio eletrônico: 57%

Transporte: 51%



Total de acessos: 239615

Visitantes online: 1