Carregando...

Publicidade

Na Escola Dinorah Ramos, os alunos do 2º ao 5º Ano têm alcançado excelentes resultados nas premiações municipais e estaduais. (Foto: Marcelino Júnior)

Educação: Avaliação, bonificação e capacitação elevam resultados.

As escolas de Sobral têm se destacado com os melhores resultados entre os municípios brasileiros.

21/05/2018

Sobral. Destaque nacional em Educação, este Município do Norte do Estado, continua acumulando bons resultado. As escolas municipais tiveram 38 destaques no Prêmio Escola Nota Dez 2017, do Programa de Aprendizagem na Idade Certa (Mais Paic), divulgado na quinta-feira (17), com o maior número de premiações da história do Município e do Estado. Pela primeira vez, Sobral conquistou os quatro primeiros lugares na avaliação da aprendizagem do 5º ano do Ensino Fundamental, feito alcançado pelas escolas Elpídio Ribeiro (1º lugar); Vicente Antenor (2º), Francisco Aguiar (3º) e Escola Antônio Custódio (4°).

O 9º Ano também aparece nas 2ª (Escola Vicente Antenor) e 3ª (Escola Dinorah Ramos) posições. O Município teve nove escolas premiadas no 2º Ano e 18 no 5º. Na avaliação da aprendizagem dos alunos do 9º Ano, 11 escolas sobralenses foram premiadas neste ano, enquanto, na edição anterior, apenas três se destacaram na categoria. A premiação é concedida com base nos resultados do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica (Spaece), que analisou a aprendizagem de 6.790 estudantes sobralenses do 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, em Língua Portuguesa e Matemática. No Ceará, 333 escolas foram premiadas e receberão valor equivalente a R$ 2 mil, por aluno avaliado.

Segundo Jailma Ferreira Dias, diretora da Escola Dinorah Ramos, que ficou a 3ª colocação no 5º Ano, o feito deve ser comemorado por professores, estudantes e pais de alunos da instituição que também se destacou no Spaece 2015. A escola, no Bairro Tamarindo, um dos mais populosos e marcados pela vulnerabilidade social, atende 412 alunos, do 1º ao 5º Ano.

"Trabalhamos sobre as avaliações diagnósticas, logo no início do ano, para saber como está a aprendizagem de cada um. Com base nessa resposta, traçamos estratégias de adequação de nível a cada turma. Utilizamos muito o contraturno, nesse ciclo de busca por melhoria de desempenho. O maior ganho é o aprendizado", ensina a gestora.

Conforme dados da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), o Índice de Desempenho Escolar (IDE - Alfa) dos estudantes do 2º Ano do Ensino Fundamental de Sobral saltou de 188,2 pontos, em 2007; para 250,4, em 2017, quando foram avaliados 2.273 estudantes.

"Isso significa que, além de estarem plenamente alfabetizadas, as crianças apresentam habilidades de leitores mais experientes, como localizar informações explícitas em textos mais extensos e fazer inferências que exijam o recurso ao sentido global do texto", explica Herbert Lima, secretário de Educação do Município. Os estudantes sobralenses do 5º Ano mostraram aprendizagem adequada em Língua Portuguesa, com índice de proficiência de 289,2 pontos, enquanto a média do Ceará foi de 223,6. Em Matemática, demonstraram aprendizagem superior à esperada para a escolaridade, com nível de proficiência de 305,3 pontos, superior ao Estado, 229,2.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

Tripé

Este desempenho chamou a atenção do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que analisa boas experiências de Educação em regiões pouco desenvolvidas. No caso do Ceará, o tripé avaliação, bonificação e capacitação tem como resposta o desempenho municipal no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A análise investigou as razões para que, mesmo em contextos historicamente desfavorecidos, algumas escolas tenham apresentado experiências exitosas no desempenho dos alunos. Os resultados desse estudo estão no relatório Lições de Experiências Exitosas para Melhorar a Educação em Regiões com Baixos Índices de Desenvolvimento.

Os pesquisadores visitaram escolas do Ensino Fundamental no Ceará, Distrito Federal e Piauí. O destaque foi o Ceará, onde 37,2% dos municípios já atingiram a meta do Plano Nacional de Educação para 2021, no Nordeste. "O relatório aponta que o sucesso da experiência cearense está ancorado em um sistema de colaboração federativa em que as políticas estaduais convergem e apoiam os municípios. Esse sistema é composto por políticas de avaliação, bonificação e capacitação, que funcionam de forma articulada e se reforçam sinergicamente", explica Herton Araújo, pesquisador do Ipea.



Total de acessos: 214348

Visitantes online: 7