Carregando...

Publicidade

Presidente da República deve fazer um discurso nesta terça durante cerimônia do MDB em Brasília. (Foto: Agência Brasil)

Apoio a Meirelles: Temer deve hoje descartar reeleição.

22/05/2018

Brasília. O presidente Michel Temer deve anunciar nesta terça-feira que não será mais candidato à reeleição e confirmar o nome do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como o presidenciável do MDB.

A decisão sobre retirar publicamente o seu nome da disputa ainda está em análise mas, internamente, segundo interlocutores do partido, já está dado que Temer não deve ser candidato.

O anúncio pode ser feito em um evento do MDB, em Brasília, quando o partido vai lançar o documento "Encontro com o futuro" - uma peça, de 45 páginas, que sustenta a importância do equilíbrio das contas públicas e propõe um aprofundamento na agenda reformista ao defender a redução das despesas obrigatórias da União.

Na noite de domingo, membros da direção da legenda e coordenadores de núcleos internos, como mulheres, juventude e sindical, se reuniram para fechar os últimos pontos relacionados à organização do evento, que pode ter de camisetas a banners de Temer e Meirelles compondo a decoração da Fundação Ulysses Guimarães, local onde acontecerá o evento.

O presidente da Fundação e ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, esteve na reunião, onde, segundo presentes, fez um discurso "otimista e encorajador", afirmando que o partido continuava forte e que quem achava que o MDB morreu estava enganado. Moreira defendeu que o partido vai deixar um legado que será reconhecido.

O legado deve ser o foco do discurso de Temer na cerimônia. No "Encontro com o futuro", Temer deve centrar sua fala nas realizações do governo e adotar um tom mais conciliador sobre possíveis alianças do partido para as eleições de outubro. Segundo interlocutores, Temer tem sido muito questionado internamente sobre a composição de uma provável chapa governista.

"Agora ele tem que juntar os cacos, essa é a palavra. Porque essa imposição do nome do Meirelles estava criando uma dificuldade dentro do partido e alguns caciques não queriam. Agora ele tem que juntar os cacos no final do governo para ver o que se salva. O que todo mundo tem dito à ele é que a meta agora é fortalecer o partido", afirmou um interlocutor da legenda.

Lula

Já o PT fará mais um ato de lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República no próximo dia 27. Desta vez, o lançamento deve ocorrer em todas as cidades onde a legenda está estruturada, de acordo com o deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), que se integrou à defesa de Lula, e preso em Curitiba desde 7 de abril, e visitou o petista ontem.

Segundo Damous, o partido apresentará alguns eixos do programa de governo de Lula e reforçará que não há "plano B" para o registro da candidatura do petista como candidato a presidente, mesmo com o petista condenado em 2ª instância. Com um pedido de liminar concedido pelo TRF-4, Damous pode se apresentar agora como advogado de Lula, ao lado de Cristiano Zanin Martins, Sepúlveda Pertence e Luiz Eduardo Greenhalgh.



Total de acessos: 214301

Visitantes online: 13