Carregando...

Publicidade

General Carlos Alberto dos Santos Cruz diz que é preciso evitar os interesses partidários na crise petrolífera. (Foto: Agência Brasil)

Para Liberar Rodovias: Tropa federal tem atuação limitada.

28/05/2018

Brasília. O secretário nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, disse, ontem, que a Força Nacional tem um efetivo pequeno para atuar na desobstrução de rodovias e afirmou não haver o mínimo risco de as Forças Armadas cometerem erros na operação para desmobilizar a paralisação de caminhoneiros.

O presidente Michel Temer determinou que agentes das Forças Armadas e da Força Nacional desobstruíssem rodovias.

O governo fez duas reuniões de avaliação no sábado e fará outras duas neste domingo. A primeira, nesta manhã, com a presença de Temer.

"A Força Nacional é um contingente pequeno e que está distribuído. Não é um contingente que possa influir decisivamente em qualquer ação. Agora passamos um efetivo pequeno para auxiliar a Polícia Rodoviária Federal", afirmou Santos Cruz.

Greve dos petroleiros

Segundo o Ministério da Justiça, a Força Nacional tem mais de 1.200 homens espalhados em 16 operações diferentes em 11 estados. Houve envio de tropas para atuar na desobstrução de rodovias apenas para Minas Gerais, mas agentes de outras operações podem ser deslocados para atuar no auxílio das Polícias Militar e Rodoviária Federal.

Questionado se o anúncio de greve dos petroleiros poderia representar um efeito cascata, o secretário nacional de Segurança Pública afirmou que é preciso evitar interesses partidários. "Tem que tomar muito cuidado com exploração de gente que tem até interesses partidários. Tem que eliminar os interesses partidários e deixar somente os interesses profissionais".



Total de acessos: 218041

Visitantes online: 7