Carregando...

Publicidade

"Quem aposta no pior é essa esquerda comunista que está aí", destacou Bolsonaro. (Foto: Reprodução Facebook)

Paralisação Nacional: Bolsonaro pede que caminhoneiros voltem ao trabalho e se diz contra intervenção militar.

Pré-candidato à Presidência diz que grevistas foram "excepcionais", mas que greve deve acabar. "Um Brasil quebrado não interessa a ninguém", diz.

29/05/2018

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à Presidência da República, publicou na noite desta segunda-feira (28) um vídeo em que pede o fim da greve nacional dos caminhoneiros, que já dura nove dias. Apesar de elogiar a postura da categoria, o parlamentar afirmou que o movimento está trazendo grandes perdas ao Brasil e que já cumpriu seu objetivo. "Um Brasil quebrado não interessa a ninguém, nem a nós e nem a vocês, trabalhadores", disse.

"Sei que vocês (caminhoneiros) a pouco tinham que decidir entre levar comida para casa, pagar o óleo (diesel) ou pagar prestação do carro. Não existe coisa mais triste do que isso, mas agora toda a sociedade começa a perder. Quebrar o Brasil nao interessa às pessoas de bem e aos trabalhadores como vocês, interessa a esses que deixaram o poder a pouco e que queriam se perpetuar no mesmo a qualquer custo. Quem aposta no pior é essa esquerda comunista que está aí", destacou Bolsonaro.

No vídeo, Bolsonaro destaca os prejuízos que os agricultores têm sofrido com a paralisação, em especial "os homens do campo, produtores de aves e leite", que não estão conseguindo transportar seus produtos. "Entendo eu, respeitosamente, que seria um ato de nobreza por parte de vocês (caminhoneiros) voltar ao serviço, buscar fazer o Brasil voltar à normalidade", reforça.

Apesar de pedir que a categoria volte ao trabalho, o pré-candidato à Presidência fez questão de elogiar a paralisação dos caminhoneiros, ressaltando que eles foram "excepcionais" até o momento, mostrando "as entranhas do poder, a corrupção e os impostos extorsivos". Segundo ele, a greve também evidenciou a incapacidade de o governo dialogar com a categoria em busca de soluções e de se antecipar a problemas assim.

Confira o vídeo na íntegra:



Contra a intervenção

Ainda nesta segunda-feira, Bolsonaro concedeu entrevista à Folha de São Paulo e se pocicionou contra a intervenção militar, uma das bandeiras levantadas pelos caminhoneiros. "Na minha opinião, dos meus amigos generais, se tiver de voltar um dia, que volte pelo voto. Aí chega com legitimidade, não dá essa bandeira para o PT dizer ‘abaixo a ditadura’ ou ‘foi golpe’, porque aí foi golpe mesmo", destacou o deputado.



Total de acessos: 142698

Visitantes online: 20