Carregando...

Publicidade

Os postos de combustível na Capital seguem sem colocar as placas para informar o preço cobrado pelo diesel no dia 21 de maio e têm dificuldade de informar os clientes sobre o valor, descumprindo despacho federal. (Foto: Reinaldo Jorge)

Diesel: Maioria dos estabelecimentos não sinaliza redução.

06/06/2018

Mesmo com a determinação do governo federal, muitos postos da Capital ainda não sinalizaram o desconto de 46 centavos garantido para o litro do diesel nas bombas de combustível. Dos mais de 15 estabelecimentos visitados pela reportagem, no décimo terceiro dia de pesquisas diretas, apenas um deles havia cumprido o despacho ao colocar uma placa sinalizando o preço cobrado no dia 21 de maio, como foi garantido em pronunciamento do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun. Em outro posto, o gerente afirmou que a placa seria colocada até o fim da tarde da ontem (5), mas nada garantido.

De acordo com o assessor econômico do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE), Antônio José Costa, a ausência da placa com o valor de revenda no dia 21 do mês passado não seria um problema pelo fato de que, segundo a determinação, a informação ao cliente poderia ser repassada verbalmente, caso requisitada.

"Nós apenas informamos que os postos devem colocar ou não. A lei só fala que o cliente deve ser informado, mas não define a forma como deve ser feito, pode ser tanto com uma placa ou oralmente", havia explicado Antônio José em entrevista concedida na última segunda-feira (4).

No entanto, em quase todos os postos visitados na Capital, os frentistas afirmaram não ter recebido qualquer orientação sobre a determinação federal e não tinham meios de fazer a checagem do preço cobrado no dia especificado pelo governo federal. O discurso era praticamente idêntico em todos os locais: "Isso só quem sabe é a gerência ou o dono do posto", diziam os funcionários, quando perguntados.

No posto Shell Bela Vista, na Avenida Rogaciano Leite, contudo, nem mesmo o gerente sabia informar o valor. Segundo ele, as notas fiscais já haviam sido passadas à central da empresa que administra o local e não seria possível informar com precisão o preço no dia 21 de maio.

Lá, o preço do litro do diesel não sofreu nenhuma alteração entre a segunda e a terça-feira dessa semana, sendo comercializado por R$ 3,41. Um dos frentistas comentou que, anteriormente, era cobrado o valor de R$ 3,83, o que representaria uma redução de 42 centavos e não de 46, como prevê a determinação.

Pouca variação

Único posto a fixar uma placa com preço do dia 21 de maio, cumprindo o despacho federal, o Ipiranga Padre Pio II, na BR-116, cedeu um desconto maior do que os 46 centavos previstos, passando de R$ 3,87 para R$ 3,399, o que representa uma redução de 47 centavos.

O Bela Vista II, da bandeira Shell, na avenida Barão de Studart, também concedeu o desconto de 46 centavos, vendendo o litro do diesel a R$ 3,41. No dia 21, o posto cobrava R$ 3,87, mas os funcionários tiveram de checar a informação através de notas fiscais de clientes, pois não tinham como checar pelo sistema do estabelecimento.

Entre a segunda e a terça-feira, apenas dois postos variaram o preço do diesel, enquanto que todos os locais visitados pela reportagem mantiveram o valor cobrado pela gasolina.



Total de acessos: 214673

Visitantes online: 5