Carregando...

Publicidade

Em entrevista recente ao jornal O Estado de S. Paulo, Camilo Santana defendeu que, se Lula não puder ser candidato, o PT apoie Ciro Gomes. (Foto: Saulo Roberto)

Lançamento da Pré-Candidatura: Camilo não deve ir a evento pró-Lula em MG.

Na agenda de hoje do governador, só há ações no Interior. Lula terá a pré-candidatura lançada em Contagem.

08/06/2018

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), não deve comparecer à solenidade de lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República, hoje, em Minas Gerais. De acordo com a agenda divulgada pela assessoria de imprensa do chefe do Poder Executivo, nesta sexta-feira ele participará de assinatura de ordens de serviços no Interior e na Capital. Alguns petistas tinham anunciado que ele iria ao evento da legenda.

O PT realiza hoje, em Contagem, Minas Gerais, o lançamento da pré-candidatura de Lula, preso há dois meses, após ter sido condenado por corrupção e lavagem de dinheiro. No Ceará, enquanto petistas defendem que o presidenciável se mantenha como o nome da sigla para a disputa, o ex-governador Cid Gomes, um dos principais líderes do grupo governista no Estado, acredita que Lula não terá registro de candidatura deferido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas deve apoiar outro nome da própria legenda para a disputa deste ano.

Uma das dúvidas entre petistas do Estado, ontem, dizia respeito à presença ou não do governador Camilo Santana no evento de hoje. A assessoria local do partido chegou a confirmar que o petista estaria no encontro, mas a executiva nacional, no fim da tarde, disse que Camilo não havia confirmado a ida, apesar do convite feito.

A assessoria do PT no Ceará afirmou ainda que o senador José Pimentel e os deputados federais cearenses do partido, Luizianne Lins, José Guimarães e José Airton Cirilo, devem participar do lançamento da pré-candidatura do ex-presidente. Já os deputados estaduais Elmano de Freitas, Manoel Santana e Dedé Teixeira informaram que não poderão comparecer ao ato. De acordo com a assessoria de comunicação do governador, às 9h, ele deve participar de eventos em Crateús e, à tarde, a partir das 14h, estará no Terminal de Messejana, em Fortaleza. Às 18h, participa de entrega de uma Areninha em Russas.

Preocupação

Há uma preocupação na base governista de Camilo em relação aos palanques presidenciais no Ceará, uma vez que o governador, filiado ao PT, tem no seu arco de aliança diversas legendas que também apresentaram pré-candidatos ao pleito deste ano, em âmbito nacional. A sigla petista, no entanto, só deve discutir questões referentes à eleição no Estado durante o Encontro de Táticas Eleitorais, que foi adiado para julho.

O ex-governador Cid Gomes, uma das principais lideranças do PDT cearense e articulador da pré-candidatura de Ciro Gomes (PDT), disse ao Diário do Nordeste não acreditar que Lula conseguirá ser candidato, mas que a sigla petista terá candidatura. No entanto, no Ceará, ele destacou que a eleição se configurará em função da realidade local.

"A base do Ciro no Ceará está apoiando o Camilo. A base do PT, que deve ter um candidato, também apoia o Camilo, assim como a base do PCdoB, que tem a Manuela como pré-candidata, e até o PODEMOS, o PRB. O PR, por exemplo, está indicando o Josué Alencar. A eleição no Ceará vai se configurar em função da realidade local", disse.

Para Cid Gomes, Lula está incluído no que a Lei da Ficha Limpa impõe sobre condenação em segunda instância, e seria pouco provável sua candidatura ser aceita pelo TSE. O ex-governador acredita que ao menos cinco candidaturas à Presidência devem ser oficializadas neste ano. "O Lula não vai conseguir ser candidato, mas imagino que o PT tenha uma candidatura".

O chefe da Casa Civil, Nelson Martins, acredita que "dá para administrar essa questão da candidatura do Ciro Gomes e de uma possível candidatura do PT ao Planalto". Segundo ele, porém, é preciso aguardar mais para ter uma ideia sobre Lula ser candidato ou não. "O governador Camilo tem dito que, em uma situação definitiva em que o Lula não possa ser o candidato, que se procure juntar os partidos de esquerda num bloco só. Se o Lula não for, temos que fazer um acordo, se possível, para ter um candidato só", defendeu.

Estratégica única

Já o deputado Elmano de Freitas (PT) disse que o partido tem uma única estratégia, que é a de "lutar pela liberdade do Lula e registrá-lo como nosso candidato a presidente, estando preso ou solto". Dedé Teixeira (PT) corroborou com o colega e disse que a Justiça tentará inviabilizar a candidatura do líder político. "Essa é uma decisão política importante. Esse é um processo de dois turnos, e neste momento o Lula é elegível".

Ele ressaltou ainda que o PT do Ceará estaria unido em defesa da candidatura de Lula, ainda que o governador do Estado, que é filiado ao partido, já tenha defendido o nome de Ciro encabeçando o processo pela esquerda. A partir do lançamento da pré-candidatura de Lula, hoje, em Minas Gerais, outros eventos devem ser realizados em todo o País com vistas a fortalecer o nome do petista. Para o deputado Manoel Santana (PT), além da candidatura de Lula, o grêmio precisa apresentar à população um programa de governo.



Total de acessos: 218039

Visitantes online: 5