Carregando...

Publicidade

Deputado Moisés Braz ocupa, interinamente, a presidência estadual do PT. Ele garante legenda a Camilo mesmo apoiando Ciro. (Foto: Saulo Roberto)

Sucessão Presidencial: Governador tem apoio para votar no nome do PDT.

A pressão da direção nacional, por enquanto, não surtirá efeito no Ceará para a aliança do PT com o PDT.

13/06/2018

O governador Camilo Santana não terá dificuldade para realizar o registro de sua candidatura à reeleição, ainda que apoie o nome do pré-candidato à Presidência da República do PDT, Ciro Gomes. A afirmação é do presidente em exercício do Partido dos Trabalhadores (PT), o deputado estadual Moisés Braz. Ele, porém, defende que o PT lance um candidato a presidente de seu próprio quadro de filiados, caso o ex-presidente Lula seja impedido pela Justiça Eleitoral.

O presidente do Poder Legislativo, Zezinho Albuquerque (PDT), por outro lado, afirmou ao Diário do Nordeste que Camilo Santana tem compromisso com Ciro e Cid Gomes, visto que eles foram responsáveis por sua eleição, em 2014, enquanto os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff não estiveram aqui, na campanha, apoiando o governador eleito e nem foram à TV pedir votos para Camilo. No pleito daquele ano, tanto Camilo quanto seu adversário, Eunício Oliveira (MDB), eram aliados do Governo petista.

O presidente do PT cearense disse que o seu partido já definiu como prioritária a reeleição do governador Camilo Santana. De acordo com Moisés Braz, a ausência de Camilo em evento de lançamento de pré-candidatura de Lula gerou algum mal estar no partido, mas ele ressaltou que alguns deputados federais cearenses também não estiveram lá. "A presença dele, claro que seria importante, mas não compromete em nada nossa posição quanto à sua reeleição ao Governo do Ceará. Isso não está em debate", disse.

Segundo o petista, o posicionamento de apoio de Camilo a Ciro ainda não ficou claro, e o que o governador defendeu em reunião da legenda foi apoio a um nome do "campo progressista", caso Lula seja impedido de concorrer ao pleito deste ano. Dos nomes deste campo, o chefe do Executivo estadual defende apoio ao postulante pedetista, já no primeiro turno da campanha. "O Lula sendo candidato, o palanque do Camilo, do PT, será do Lula. O governador não terá nenhum risco de não ter legenda para sua reeleição. Não existe essa história. Ele terá legenda, porque é o nosso candidato à reeleição", defendeu.

Servia

Presidente do Poder Legislativo Estadual, o deputado Zezinho Albuquerque destacou que o governador Camilo "tem gratidão" a Ciro e Cid Gomes, e que por isso tende a apoiar o nome de Ciro Gomes. "Nem Lula e nem Dilma estiveram aqui apoiar o Camilo. E eles sabem que a política também se faz com gratidão. Ele é muito grato com quem esteve com ele o tempo todo. Ele está lá como governador, hoje, porque teve o apoio de Cid e Ciro", afirmou Zezinho.

O pedetista ressaltou ainda que Lula não pode ser candidato e defendeu que a legislação eleitoral seja seguida. "Segundo as leis, ele não pode ser candidato. Se o Lula não é candidato, o PT tem direito de lançar outro candidato, mas o governador Camilo está trabalhando na linha de ter Ciro como presidente e (Fernando) Haddad como vice. (O PT) está apostando em uma coisa que não é possível, já que ele (Lula) foi condenado e não pode ser candidato. Por que ele pode e outros que estavam impedidos no passado não puderam? Para aqueles (a Lei) servia e para o Lula não serve? A Justiça é para todos", enfatizou.

Apesar de alguns petistas terem dito que Camilo votaria em Lula, o deputado Manoel Santana (PT) afirma que a tendência é que o governador vote em Ciro Gomes. Elmano de Freitas (PT) disse que o partido terá que "dialogar bastante", e lembrou que o partido definiu que Camilo é candidato do partido à reeleição com candidatura vinculada a uma eventual postulação de Lula. Segundo ele, porém, não seria interessante para o "campo progressista" um atrito com o PDT, aliado do Partido dos Trabalhadores no Ceará há mais de uma década.



Total de acessos: 239943

Visitantes online: 1