Carregando...

Publicidade

Com jogadas excessivas pela esquerda, Brasil apenas empatou por 1 a 1 com a Suíça na estreia. (Foto: AFP)

Copa do Mundo: Após tropeço na estreia, Brasil busca afirmação na Copa contra Costa Rica.

Seleção enfrenta a Costa Rica nesta sexta (22), às 9h da manhã, pela segunda rodada do Grupo E.

22/06/2018

A estreia não foi a esperada, mas a confiança continua em alta. Após o empate por 1 a 1 com a Suíça, o Brasil encara a Costa Rica apostando na manutenção da equipe para buscar afirmação na Copa do Mundo da Rússia, nesta sexta-feira (22), em São Petersburgo.

Dificuldade de penetração no ataque, abuso de jogadas pelo setor esquerdo, pouca movimentação dos volantes, desatenção na bola parada, nervosismo. Estes foram os diagnósticos para explicar o decepcionante empate com a Suíça na estreia no Mundial.

Mas, apesar dos problemas citados acima, Tite pretendia realizar apenas uma mudança na equipe que irá a campo para duelar com a Costa Rica. E não era tática! Marcelo passará a braçadeira de capitão a Thiago Silva no rodízio promovido pelo técnico.

Houve, porém, um contratempo: a lesão de última hora de Danilo, com dores no quadril após o treino desta quinta-feira (21), também obrigará o comandante a mexer na lateral-direita, promovendo a entrada da Fagner.

Na quarta-feira (20), no último treino em Sochi antes de viajar para São Petersburgo, palco do segundo jogo no Mundial russo, Tite armou a equipe titular com a mesma formação da estreia, mantendo Paulinho na contenção e Gabriel Jesus na ponta do ataque.

A força no apoio ao ataque do volante do Barcelona, que disputa a vaga com Fernandinho e Renato Augusto, e a movimentação do atacante do Manchester City, que sofre com a sombra de Roberto Firmino no banco, são peças-chave para superar defesas com uma última linha de cinco jogadores, esquema que a Costa Rica utiliza e certamente colocará em campo contra o Brasil.

Mantendo praticamente a mesma equipe em campo, a missão de Tite será realizar ajustes para diversificar o sistema ofensivo do Brasil. Na estreia, a Seleção abusou do lado esquerdo do ataque, por onde jogam as maiores referências do elenco, Marcelo, Philippe Coutinho e Neymar, facilitando a marcação suíça.

"Faltou girar mais a bola, usar mais o lado direito, que é muito forte. Vamos ajeitar isso para o próximo jogo", admitiu na terça-feira (19) Coutinho, autor do gol do Brasil na estreia.

Neymar ajudará Coutinho a armar o ataque do Brasil.

O craque do Paris Saint-Germain, que saiu de campo mancando após ser caçado pelos suíços, havia virado dúvida para a partida contra a Costa Rica ao deixar o treino de terça com dores no tornozelo, mas tranquilizou a torcida brasileira ao participar da atividade na quarta.

"Treinei bem, me senti à vontade. O pé está tranquilo", garantiu Neymar ao canal da CBF.

Paredão costarriquenho

Do outro lado do campo, o Brasil enfrentará uma Costa Rica desesperada. Após ser derrotada por 1 a 0 pela Sérvia, teoricamente o adversário mais acessível do Grupo E do Mundial, os costarriquenhos sabem que não podem se dar ao luxo de tropeçar novamente se quiserem repetir o feito da Copa passada, na qual alcançaram às quartas de final.

"As chances de classificação foram reduzidas, mas a intenção continua. Conversamos no vestiário e tudo ainda não está acabado", afirmou o técnico Oscar Ramirez após a derrota diante dos sérvios.

Embora não tenha funcionado como esperado na estreia, Ramirez deverá continuar apostando na linha de cinco defensores, com Gamboa, Acosta, González, Duarte e Oviedo à frente do goleiro Navas, como precaução contra o talento dos jogadores de ataque brasileiros, apostando em contra-ataques precisos para tentar surpreender a Neymar e companhia.

Na frente, a dúvida é se o técnico manterá Marco Ureña, que teve atuação apagada como titular contra os sérvios ou se irá promover a volta do veterano Joel Campbell, estrela da seleção costarriquenha, mas que se transformou em opção de velocidade para o segundo tempo sob o comando de Ramirez.

Brasil e Costa Rica se enfrentam nesta sexta-feira às 9h (horário de Brasília), na Arena Zenit de São Petersburgo. A partida será apitada pelo trio holandês formado pelo árbitro Bjorn Kuipers, auxiliado por Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra.

Prováveis escalações

Brasil: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Philippe Coutinho; Willian, Neymar e Gabriel Jesus.
Técnico: Tite

Costa Rica: Navas; Gamboa, Gonzalez, Acosta, Duarte e Oviedo; Guzman, Borges, Ruiz e Venegas; Ureña (ou Campbell).
Técnico: Oscar Ramirez.



Total de acessos: 160011

Visitantes online: 13