Carregando...

Publicidade

Cearense foi detido em São Petersburgo, uma das cidades-sedes da Copa do Mundo 2018. (Foto: Christophe Faugere/Shutterstock)

São Petersburgo: Cearense é detido e internado em clínica psiquiátrica na Rússia.

Leonardo embarcou para a Rússia em março para fazer um curso de línguas.

22/06/2018

O cearense Leonardo Pestana Dantas, 27 anos, está internado em uma clínica psiquiátrica de São Petersburgo, na Rússia, desde o sábado (16). O jovem foi detido pelas autoridades russas no aeroporto, no momento em que embarcava de volta para o Brasil.

"Alegam que ele estava muito exaltado e teve um surto. Mas meu filho mandou uma mensagem para mim no momento em que estava sendo preso e ele estava tranquilo. Ele nunca teve problemas e sempre foi equilibrado. Mas se ele estiver com algum problema psiquiátrico, ele tem que ser tratado aqui no Brasil, com a família", afirma Fátima Pestana, mãe de Leonardo.

Ainda segundo a mãe do cearense, Leonardo embarcou para a Rússia em março para fazer um curso de línguas e, em seguida, cursar uma segunda faculdade, já que é formado em Engenharia Ambiental.

Desde que foi internado, Fátima só conseguiu falar com o filho apenas uma vez, na segunda-feira (18). Ela conta que soube, por meio da mensagem, que ele tinha sido detido no sábado (16), mas que depois disso não teve mais nenhuma notícia, porque o celular foi confiscado.

"Os amigos dele conseguiram o telefone da Embaixada, liguei para lá e ele foi localizado nessa clínica. É cruel, eu fiquei mais de um dia sem saber o que aconteceu com ele", relata Fátima. Na segunda-feira (18), ela afirma que a embaixada foi até ao local e conseguiu falar com o filho. De acordo com ela, Leonardo disse que era um contratempo que estava acontecendo com ele na Rússia.

"Isso aqui no Brasil é um cárcere privado. Como é que você coloca a pessoa dentro de uma local desse sem ter contato com a família? Isso aqui para nós não existe mais. Meu filho não é louco nem delinquente", ressalta.

Tentando trazer Leonardo para o Brasil, Fátima comenta que diariamente liga para a Embaixada do Brasil na Rússia. Já afirmaram para ela que ele poderia voltar, desde que as despesas fossem pagas e que ele estivesse acompanhado por alguém. Uma das opções citadas por ela é de Leonardo viajar acompanhado de um estudante de Medicina que está voltando para o Brasil. "Mas o hospital não quer liberar meu filho", comenta a mãe, dizendo que já deixou claro para a Embaixada que ela mesma pode viajar para trazer o filho.

"Tudo que eles pediram, eu estou aceitando, mas eles estão colocando empecilho para liberar e ninguém sabe nem se ele está doente mesmo", destaca.

Quando questionada sobre quais os motivos para o hospital não liberar o cearense, Fátima diz que afirmam que o rapaz "tem que ficar lá mais tempo, porque teve um surto e o tratamento é de 3 semanas".

Confusão em curso

A mãe de Leonardo conta que o filho não se adaptou ao país e que ele teve uma confusão, no dia 13 de junho, no curso de línguas o qual estava matriculado. "Ele me contou que houve um problema no curso, que ele brigou lá e se exaltou. Chamaram a polícia e fizeram um BO [Boletim de Ocorrência] contra ele. Foi nessa hora que eu falei para ele vir embora. Mas depois ficou tudo bem, inclusive, ele voltou ao curso e pediu desculpas", diz a mãe do jovem, ressaltando que Leonardo tem experiências em outros países, já tendo morado e estudado no Canadá durante um semestre.

A reportagem do Diário do Nordeste entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores e aguarda resposta sobre o caso.



Total de acessos: 230289

Visitantes online: 2