Carregando...

Publicidade

Atacante Neymar marcou até agora apenas um gol na Copa do Mundo. Sua missão é vazar o goleiro mexicano Ochoa, adversário conhecido desde a Copa de 2014. /// Ochoa foi um dos destaques do time mexicano na primeira fase da competição mundial. Sua missão será parar o poderoso ataque brasileiro na próxima segunda-feira. (Foto: AFP)

Oitavas de Final: Reencontro particular.

Contra o México na próxima segunda-feira, às 11 horas, Neymar terá a dura missão de superar o goleiro Ochoa, carrasco em 2014.

30/06/2018

Neymar tem a missão de superar o goleiro Ochoa para ratificar a condição de principal favorito ao título da Copa do Mundo, no confronto desta segunda-feira (2), às 11h (de Brasília), na Arena de Samara, válido pelas oitavas de final. No último encontro, em Fortaleza, na edição brasileira da competição, o principal jogador brasileiro não conseguiu furar o 'paredão'.

Entretanto, o Brasil tem a favor o histórico de nunca ter perdido e sequer levado um gol. Foram quatro partidas, com três vitórias e um empate, todas pela fase de grupos, com 11 gols marcados. Será a primeira vez que as duas seleções se encontram numa fase eliminatória.

"Também nunca tínhamos vencido a Alemanha em um Mundial. Vamos nos agarrar a isso. Viemos fazer história. Tudo isso, no fim, é estatística. E estatística não joga", desabafou o capitão mexicano Guardado.

Em 2014, na Arena Castelão, a intervenção na cabeçada de Neymar, ainda no primeiro tempo, rendeu a Ochoa o prêmio de melhor defesa da Copa. Hoje com 32 anos, o goleiro sonha em repetir a façanha e levar o México ao primeiro título mundial.

"O sonho é meu e de todos os meus companheiros. De ficarmos aqui (na Copa) até o último dia. Nada vai tirar nosso sonho. Todos querem chegar até o fim. Mas nós queremos mais", declarou o goleiro que fez mais defesas na fase de grupos na Rússia, com 17 no total.

Daquela partida nove remanescentes. Além do goleiro, estavam Héctor Moreno, Herrera, Guardado e Chicharito Hernández pelo time mexicano; e Thiago Silva, Marcelo, Paulinho e Neymar da Canarinho.

A capital cearense foi palco da última vitória brasileira sobre o rival, em 2013, em jogos oficiais. Com gols de Neymar e Jô, a Seleção venceu por 2 a 0 pela Copa das Confederações. Naquela oportunidade, Ochoa ficou no banco e o astro brasileiro foi eleito o melhor da partida.

Casemiro descartou favoritismo da Seleção e acredita que o Brasil terá dificuldades contra os mexicanos. "Camiseta não ganha jogo. Temos o exemplo da Alemanha. Com todos os jogadores que tem, todo o favoritismo, caiu na primeira fase. Estamos muito tranquilos. Todos os jogadores são de grande nível, de clubes sempre favoritos. Já estamos acostumados a essa pressão, a esse favoritismo que todo mundo fala. Temos que jogar muito futebol para ganhar do México".

Freguesia em decisões

Para o duelo de mata-mata, a Tricolor se apega ao fato de ter vencido mais vezes o Brasil neste século, sendo duas vezes em jogos decisivos como na Copa Ouro de 2003 e no título olímpico de 2012, com Neymar em campo. Foram 14 jogos, com seis vitórias mexicanas, três empates e cinco brasileiras.

Pensando em acabar com a freguesia, o camisa 5 da Seleção elogiou Neymar, afirmou que o atacante é a referência da equipe, mas acredita que o diferencial está no jogo coletivo.

"Futebol sempre se tem um jogador que falam mais. Mas tem que ter um conjunto muito bom, e claro um jogador acima da média. É inevitável dizer que o nosso jogador acima da média é o Neymar, mas não podemos nos esquecer que temos outros grandes jogadores, uma defesa muito sólida, um grande goleiro. Assim como em outros anos, quando foi Ronaldo, Pelé, Romário. Futebol são 11, 14 jogadores. Tem que ter todos à disposição muito bem", falou.



Total de acessos: 230285

Visitantes online: 6