Carregando...

Publicidade

Kylian Mbappé tem se tornado um dos principais nomes desta edição da Copa do Mundo. O francês de 19 anos é a esperança de gols da França. (Foto: AFP)

Semifinais da Copa: Os donos da bola.

Com as principais estrelas eliminadas, craques em ascensão assumem protagonismo das semifinais.

09/07/2018

O brilho de Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar e Iniesta ficou pelo caminho na Copa do Mundo da Rússia, abrindo espaço para craques em ascensão como Mbappé, Kane, Lukaku, Griezmann e Modric liderarem os jogos coletivos de suas equipes até as semifinais.

Um após o outro, os principais nomes do futebol foram sendo eliminados, comprometendo a história, os títulos e o nome dos vitoriosos no passado.

O prodígio francês Kylian Mbappé é o nome da renovação do futebol dos Bleus. Habilidoso, veloz e com maturidade impressionante para seus poucos 19 anos, o atacante do PSG tem um futuro - e presente - de encher os olhos no futebol.

"Trabalhei o ano todo para isso, sonho com isso desde que era criança. Isso é algo grandioso", garantiu o jovem após assegurar vaga nas semifinais com vitória sobre o Uruguai.


Harry Kane é o artilheiro da Copa do Mundo e se tornou referência na renovação da Inglaterra para o mundial. (Foto: AFP)

Artilheiros

Harry Kane e Romelu Lukaku são os artilheiros da Copa do Mundo. O primeiro exibe elegância e poder de finalização mortal dentro da área, enquanto o segundo é pura potência e energia. O gigante belga infernizou o Brasil nas quartas de final.

A Copa não foi de Argentina, Brasil, Alemanha nem Espanha, tradicionais favoritas ao título. As grandes candidatas falharam diante de equipes menos prestigiosas e deixaram a desejar.

Mas as que resistiram conseguiram se meter nas semifinais. França, Bélgica, Inglaterra e Croácia mostraram força no jogo coletivo, com cada peça tendo função vital para o funcionamento da engrenagem.

Os 'Bleus' de Didier Deschamps, jovem time com média de idade de 26 anos, a 'Geração Dourada' dos Diabos Vermelhos, a Inglaterra com sua força aérea, e a técnica da Croácia são a expressão do futebol de conjunto.

Jogos que prometem

França e Bélgica da próxima terça-feira, às 15 horas, em São Petersburgo, promete ser um digno recital de futebol propositivo, vertical e contundente.

E não faltam jogadores de ponta para liderarem suas equipes, com Mbappé, Pogba, Griezmann e Kanté do lado francês e Hazard, Lukaku e De Bruyne do lado belga.

Em Moscou, um dia depois, também às 15 horas, a Inglaterra vai apostar em seu bombardeio aéreo para tomar a capital russa com Kane, artilheiro máximo da competição com seis gols.

Mas do outro lado estará a máquina croata, que funciona sob a batuta de Luka Modric e conta com Mateo Kovacevic, Ivan Rakitic e Mario Mandzukic.

A Copa do Mundo da Rússia está se comprovando o mundial das equipes. França, Bélgica, Inglaterra e Croácia homenageiam o jogo bem jogado, com toques refinados, transições rápidas e muito volume de jogo.

O futebol está garantido com os quatro semifinalistas, que contam com os artistas ideias para iluminarem o espetáculo apesar de não serem os tradicionais candidatos ao título. Resta esperar para ver quem avança.



Total de acessos: 229992

Visitantes online: 6