Carregando...

Publicidade

Neste ano, Ciro Gomes (PDT), nascido no interior de SP, mas radicado como cearense desde a infância, voltará a colocar o Estado no centro da briga pela Presidência da República. Essa será a 3ª vez que ele disputará o cargo. (Foto: Saulo Roberto)

Memória Republicana Brasileira: Disputas presidenciais têm pouco protagonismo do Ceará.

O primeiro cearense a pleitear o cargo foi Juarez Távora, que enfrentou Juscelino Kubitschek em 1955.

16/07/2018

Em quase 130 anos de República, apenas cinco políticos nascidos ou radicados no estado do Ceará disputaram os cargos de presidente ou vice-presidente do Brasil em um total de 25 pleitos (diretos ou indiretos).

Neste ano, Ciro Gomes, nascido em Pindamonhangaba (SP), mas radicado no Ceará desde a infância, voltará a colocar o Estado no centro da briga pela presidência da República.

Essa será a terceira vez que Ciro disputará o cargo, tendo acumulado em seu currículo os cargos de prefeito de Fortaleza, governador do Ceará, ministro dos governos Itamar Franco e Luiz Inácio Lula da Silva, além de já ter sido deputado estadual e deputado federal. A confirmação da candidatura do pedetista acontecerá daqui a quatro dias, na sexta-feira (20), em convenção da sigla. O nome do candidato a vice-presidente ainda não foi revelado. Ciro aparece entre a terceira (com 8% das intenções de votos) e a quarta posição (com 4%) nos dois cenários avaliados na última pesquisa CNI/Ibope, divulgada em junho.

O primeiro cearense a disputar um pleito presidencial foi Juarez Távora, militar que enfrentou, pelo PDC (apoiado pela UDN), o mineiro Juscelino Kubitschek (PSD), nas eleições de 1955. Távora ficou em segundo lugar e obteve 2.610.462 sufrágios, o que correspondeu a 30,27% dos votos válidos.

Juarez Távora não foi, contudo, o primeiro cearense a tentar conquistar o eleitorado nacional. Em 1922, o escritor Justiniano de Serpa disputou o cargo de vice, em uma eleição suplementar realizada após a morte do maranhense Urbano Santos (PRM). Justiniano recebeu apenas 58 votos e o eleito para o posto foi o pernambucano Estácio Coimbra, que obteve 295.787 votos.

Em 1964, as disputas passaram a ocorrer no colégio eleitoral. Naquele pleito indireto, houve dois cearenses em disputa: o próprio Juarez Távora, que foi apoiado por apenas três deputados e Humberto de Alencar Castello Branco foi eleito com 361 votos. Ele não foi, porém, o primeiro cearense a ocupar o cargo máximo do Executivo brasileiro.

Cerca de 20 anos antes, José Linhares, foi o primeiro cidadão nascido no estado a comandar o País, por um breve período de 3 meses e 2 dias, entre outubro de 1945 e janeiro de 1946. Linhares era o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Paes de Andrade, Mauro Benevides e Eunício Oliveira (todos do PMDB) também ocuparam a presidência de forma interina, em diferentes períodos, nos últimos 35 anos: o primeiro na qualidade de presidente da Câmara; os outros dois exercendo a presidência do Senado.

Pós-redemocratização

Na chamada "Nova República", apenas em 1998 o estado voltou a ter postulantes ao Palácio do Planalto: Ivan Frota (PMN), que recebeu 251.337 votos (0,37% do total de sufrágios válidos); e Ciro Gomes (então no PPS), que ficou em terceiro lugar, com 7.426.190 votos, ou 10,97% do total de votos válidos.

Ciro disputou novamente o cargo em 2002, mas daquela vez ficou na quarta colocação, mesmo tendo obtido votação maior: 10. 170.882 votos.

Histórico

Presidentes

-José Linhares: Governou entre outubro de 1945 e janeiro de 1946.

- Humberto de Alencar Castello Branco : Foi o primeiro presidente do regime militar, tendo governado entre abril de 1964 e março de 1967.

- Antonio Paes de Andrade: Como presidente da Câmara, assumiu a Presidência da República, de forma interina por 11 vezes, entre os governos Sarney e Collor.

- Carlos Mauro Cabral Benevides: Como presidente do Senado Federal, assumiu a Presidência da República, de forma interina em 1992.

- Eunício Lopes de Oliveira: Também na qualidade de presidente do Senado, assumiu a Presidência, de forma interina em 2017.

Disputaram a presidência

- Juarez do Nascimento Fernandes Távora: Teve 2.610.462 votos, ficando atrás de Juscelino em 1955 (30,27% dos votos válidos). Juarez Távora também recebeu 3 votos no colégio eleitoral em 1964, tendo disputado contra Castelo Branco.

- Ivan Moacyr da Frota: Disputou o cargo em 1998 pelo PMN, quando recebeu 251.337 votos (0,37% do total de sufrágios válidos)

- Ciro Ferreira Gomes: Disputou em 1998, quando ficou em 3º lugar e teve 7.462.190 votos (10,97% dos votos válidos), e em 2002, quando ficou em 4º lugar, com 10.170.882 votos (11,97% dos votos válidos)

Disputou como vice

- Justiniano José de Serpa: Disputou as eleições suplementares de 1922 ao cargo de vice-presidente. Teve apenas 58 votos.



Total de acessos: 215877

Visitantes online: 15