Carregando...

Publicidade

Em 2014, Tiririca foi o terceiro mais votado do País. O 1,016 milhão de votos obtidos por ele ajudaram o PR a eleger seis parlamentares em São Paulo. (Foto: Agência Brasil)

Câmara: Tiririca é convencido a tentar reeleição em 2018 após dizer que não disputaria novo mandato.

Visto pelo PR como peça fundamental para eleger mais deputados em São Paulo, parlamentar já se disse "decepcionado" com a política.

20/07/2018

Após afirmar que estava "totalmente decepcionado com a política" e anunciar, em outubro do ano passado, que não disputaria um novo mandato, o deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca, foi convencido pelo PR a tentar a reeleição em 2018. As informações são da coluna da jornalista Andreza Matais, do jornal Estado de São Paulo.

Visto pela sigla como peça fundamental nas negociações em torno de um aliança na eleição presidencial, tendo em vista que foi o terceiro mais votado do País em 2014, Tiririca deve ajudar o PR a eleger mais deputados federais em São Paulo, tendo em vista o seu apelo popular. No último pleito, ele recebeu 1,016 milhão de votos e permitiu que o partido emplacasse seis nomes na Câmara. Sem Tiririca, esse número cairia pela metade.

Em seu primeiro e supostamente último discurso na Câmara, feito em dezembro do ano passado, Tiririca confirmou que estava deixando a vida pública "decepcionado, mas de cabeça erguida". Na época, o deputado se disse envergonhado pelo que viu no Congresso ao longo de dois mandatos. "O que eu vi nos sete anos aqui, eu saio totalmente com vergonha. Não vou generalizar, não são todos. Tem gente boa aqui dentro", afirmou.

Mandatos

Em agosto do ano passado, ao dar indícios que pretendia deixar a política, Tiririca confessou que disputou o primeiro mandato, em 2010, apenas para tentar ganhar visibilidade como artista. Mudou de ideia quando foi eleito com 1,3 milhão de votos, o que o tornou o deputado mais votado do País. "Aí disse: opa, espera aí. Teve voto de protesto, teve. Mas teve voto de pessoas que acreditam em mim. Não posso brincar com isso", afirmou. À época, o deputado foi eleito ao usar o slogan "Pior do que está não fica" durante sua campanha.

Em 2014, decidiu disputar reeleição "para provar que não estava de brincadeira e que fiz a diferença na política". E foi reeleito com 1,016 milhão de votos. No segundo mandato, Tiririca votou tanto a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e pela abertura de investigação contra Temer, mesmo com a pressão da direção partidária sobre ele. "Tem um ditado que minha mãe fala sempre: errou, tem que pagar", disse.



Total de acessos: 215893

Visitantes online: 31