Carregando...

Publicidade

Diego Jussani dá combate ao centroavante Walter, no empate com CSA. (Foto: Ailton Cruz)

Série B: Um ponto estratégico.

Fortaleza segura o ímpeto do CSA e mantém a diferença de um ponto do vice, permanecendo na ponta.

21/07/2018

A pressão foi grande do CSA/AL, mas o Fortaleza resistiu e garantiu o empate em 0x0, ontem à noite no Estádio Rei Pelé, pela 16ª rodada da Série B. O empate manteve o Tricolor do Pici na liderança do campeonato, agora com 30 pontos, contra 29 do vice-líder, o CSA de Alagoas.

No próximo jogo, o Leão receberá o Avaí, na terça-feira, dia 24, às 21h30 na Arena Castelão, quando poderá voltar a vencer, coisa que não consegue há três partidas pela Série B.

O equilíbrio marcou o primeiro tempo entre o Leão e o Azulão do Mutange, apesar de a pressão constante ter sido do time da casa. As propostas das duas equipes traduziram também o andamento do jogo, na primeira etapa. O técnico Rogério Ceni não optou pelo 3-5-2 que se esperava, preferindo povoar mais o setor de meio-campo, com as presenças de Derley, Nenê Bonilha, o estreante, Marlon e Dodô.

Nenê Bonilha mostrou ser um segundo volante, com mais toque de bola, porém que também auxiliou na recomposição do meio-campo, quando o Tricolor estava sem a posse de bola.

Pelos lados do time alagoano, o centroavante Wálter tinha o apoio de Niltinho, seu companheiro de ataque e Ferrugem. No ataque do Fortaleza, o centroavante Wilson encontrou grandes dificuldades para segurar a bola na frente e Marcinho se movimentou bastante, mas sem espaços para produzir algo de mais positivo.

Como o ataque do Leão não produzia, a bola batia na frente e voltava, dando domínio para o CSA, que buscava o contra-ataque. Entretanto, ao contrário do jogo contra o Atlético Goianiense, quando o time de Rogério Ceni estava muito aberto, dessa vez houve uma compactação maior, impedindo que os atacantes do CSA entrarem livres na área tricolor.

Perigoso

O time orientado pelo técnico Marcelo Cabo teve as chances mais claras de marcar. Exemplo disso foi a oportunidade real que Walter teve aos 30 minutos. Ele ficou de frente para o gol, chutou, mas Marcelo Böeck espalmou. O centroavante Wilson teve apenas uma bola de gol, aos 34 minutos, quando arrematou de fora da área, porém pela linha de fundo.

No segundo tempo, o domínio e a pressão foram do time da casa, que perdeu várias chances para abrir o placar. Em algumas, Böeck fez boas intervenções e em outras, os atacantes erraram a pontaria. O Tricolor praticamente não teve chances de finalizar e o placar ficou inalterado.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 218446

Visitantes online: 7