Carregando...

Publicidade

Cândido Vaccarezza (Avante-SP) disse, pelo WhatsApp, que é pré-candidato a deputado federal. (Foto: Agência Câmara)

Juiz Sérgio Moro intima Vaccarezza por "vaquinha virtual".

31/07/2018

Curitiba/São Paulo. O juiz federal Sérgio Moro mandou, ontem, intimar Cândido Vaccarezza (Avante-SP), após o ex-deputado criar uma lista no WhatsApp para arrecadar valores para sua campanha. Preso na Lava-Jato em 2017, ele deixou a prisão, mas não quitou a fiança de R$ 1 5 milhão imposta por Moro.

"Já começou o período eleitoral, nós estamos agora na fase da pré-campanha. Você me conhece, eu fui deputado federal por dois mandatos, deputado estadual por dois mandatos e tenho a honra de ter contribuído com minha ação parlamentar para melhorar a qualidade de vida da população, para melhorar a qualidade do legislativo no Brasil. Agora sou pré-candidato a deputado federal. Você me conhece, estou pedindo a sua contribuição, participe da vaquinha virtual", pede Vaccarezza, em vídeo enviado pelo WhatsApp.

No site indicado pelo ex-deputado, é possível contribuir com os valores de R$ 30, R$ 50, R$ 100, R$ 300, R$ 500, R$ 700, R$ 950 e R$ 1,064 mil. No fim de semana, Vaccarezza mudou o nome do grupo. Saiu o "Lista Vaquinha 1" e entrou o "Um Projeto para o Brasil".

Vaccarezza foi preso em agosto de 2017 na Operação Abate, 44.ª fase da Lava-Jato. Ele é investigado por supostas propinas de US$ 500 mil oriundas de contratos para o fornecimento de asfalto à Petrobras. Após cinco dias custodiado, Vaccarezza foi solto por Moro, que considerou problemas de saúde alegados e impôs medidas cautelares.



Total de acessos: 218902

Visitantes online: 6