Carregando...

Publicidade

Ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Aldo Rebelo, negou ter sido convidado pelos tucanos para ser vice. (Foto: AFP)

Eleições: Aldo Rebelo e Ana Amélia descartam chapa de Alckmin.

31/07/2018

Brasília. O ex-ministro Aldo Rebelo (SD) negou, na manhã de ontem, que esteja em negociação para compor a chapa de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Planalto. “Esta hipótese não está sendo considerada por mim”, afirmou Rebelo, que foi ministro da Defesa e dos Esportes. Ele negou também que tenha sido procurado pelo ex-governador paulista.

Outro nome cotado, a senadora Ana Amélia (PSDB) também descartou a possibilidade e deve mesmo trabalhar pela sua reeleição. “Não posso negar que a citação do meu nome, senadora de primeiro mandato, é de extraordinária relevância para mim, pessoalmente. Agora, eu digo sempre que, na minha terra, Lagoa Vermelha (RS), a gente, desde pequeno, aprende que nunca se pode dar o passo maior que o tamanho a perna”, disse.

A senadora ainda disse entender que o presidenciável tucano deveria procurar algum vice que venha do Nordeste.

“Acredito que Alckmin precise de alguém da região porque é uma área com grande massa de eleitores. Seria extremamente positivo para a campanha dele”.

Desde a recusa de Josué Gomes da Silva (PR) ao posto de vice na chapa de Alckmin, o Centrão tem buscado outras opções para o posto.

Convenção

Ontem, Alckmin disse, em Belo Horizonte, que seu vice será definido “sem correria”, até sábado, na convenção da sigla. Segundo ele, o escolhido não será do seu partido nem de São Paulo. “Temos bons nomes que seguirão essa linha da redução do Estado e foco no crescimento”.

O ex-governador afirmou que o senador Aécio Neves (PSDB) “será bem recebido” caso queira participar da convenção nacional do partido, em Brasília. O senador é réu no Supremo após ser acusado de receber propina de R$ 2 milhões da JBS.

Segundo o presidente do PSDB em Minas, deputado federal Domingos Sávio, não há definição sobre possível participação de Aécio na convenção nacional do partido, no sábado.

Além dos nomes de Rebelo e Ana Amélia, correm por fora ainda os nomes do ex-ministro Mendonça Filho (DEM) e da vice-governadora do Piauí, Margarete Coelho (PP). Os três são do Nordeste, algo tratado nos bastidores como “pré-requisito” para a composição.

No sábado, o Solidariedade, sigla de Rebelo, acertou em convenção o apoio à chapa tucana. No evento, líderes do partido voltaram a falar na eventual chapa de Alckmin com Aldo. “Considero estas opiniões, mas creio que neste processo eleitoral cumpri meu expediente sendo pré-candidato”, disse Aldo.



Total de acessos: 217962

Visitantes online: 7