Carregando...

Publicidade

Marcio Lacerda, ex-prefeito de Belo Horizonte (PSB), usou sua conta no Twitter para anunciar a "decisão final" de evitar candidatura de vice-presidente. (Foto: AB)

Corrida Presidencial: Lacerda nega hipótese de ser vice de Ciro Gomes.

Após ser cogitado para compor a chapa do PDT, o ex-prefeito de Belo Horizonte decidiu disputar governo de MG.

01/08/2018

Belo Horizonte. O ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) reafirmou, ontem, que será candidato ao governo de Minas Gerais e que não considera a hipótese de ser candidato a vice-presidente. Pelo Twitter, o mineiro afirmou que essa é a "decisão final".

O pessebista chegou a ser cogitado para a vaga de vice na chapa do candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT). Outra possibilidade levantada em seu partido foi abrir mão da candidatura ao governo estadual e apoiar a reeleição de Fernando Pimentel (PT), em troca do apoio do PT à reeleição de Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco. Nesse acordo, a legenda ficaria neutra na campanha à Presidência.

Diante das especulações, Marcio Lacerda se manifestou reafirmando sua pré-candidatura ao governo de Minas.

O congresso do partido no Estado para oficializar uma decisão está marcado para sábado (4), um dia antes da convenção nacional do PSB, que deve definir a posição da legenda na corrida presidencial.

"Eu sou candidato ao Governo de Minas Gerais e não há hipótese de me candidatar a vice-presidente. Essa é nossa decisão final", tuitou Lacerda.

Já o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, disse que o ex-prefeito de Curitiba Luciano Ducci está disposto a ocupar o posto de vice-presidente em um eventual apoio da sigla a Ciro.

Ducci é deputado federal e ocupou o cargo de prefeito da capital paranaense em 2010, quando o tucano Beto Richa deixou o cargo para disputar o governo estadual. O nome dele não enfrenta resistência no PDT. Siqueira irá reunir dirigentes de partidos de esquerda, como PCdoB, PT e PDT, em Brasília, para discutir o "futuro" das siglas nas eleições de outubro.

O PSB tem tido dificuldade de chegar a um consenso sobre qual rumo seguir na eleição desde que a candidatura do PDT, encabeçada por Ciro, perdeu o apoio do Centrão, que decidiu se aliar a Geraldo Alckmin (PSDB).

Palanques

Setores do PSB também seguiram nos últimos dias em conversas com o time de Ciro Gomes sobre um possível rearranjo nos palanques estaduais, para tentar resgatar a tese de uma aliança nacional em outubro.

"As coisas vão se afunilando para ficar melhor para a nossa posição. Vamos ver", disse o vice-líder do PSB na Câmara, deputado Júlio Delgado (MG), demonstrando otimismo quanto a uma definição rápida sobre a situação do partido na eleição.

"Não conversei com o povo do PDT, mas conversei com o povo de outros partidos e podemos ter uma boa solução de hoje para amanhã".

União descartada

Convidado para participar do encontro, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, rechaçou o discurso da unidade da esquerda na eleição de outubro.

"Essa união hoje é impossível, estamos com a candidatura do Ciro, inclusive, registrada. Não há nenhuma chance da retirada da candidatura dele, é zero".



Total de acessos: 239363

Visitantes online: 1