Carregando...

Publicidade

Em nota oficial divulgada na tarde desta quarta-feira (1º), a organização do Congresso Internacional de Matemáticos lamentou o desaparecimento da pasta do matemático Caucher Birkar que continha a Medalha Fields. (Foto: Marcos Arcoverde/ICM 2018)

"Nobel da matemática", Medalha Fields é furtada no Rio logo após premiação.

O matemático é professor na Universidade de Cambridge e tinha deixado a medalha dentro de sua pasta;

02/08/2018

O iraniano de origem curda Caucher Birkar, 40, teve a sua medalha Fields, considerada o "nobel da matemática", furtada nesta quarta (1º) após recebê-la na cerimônia de abertura do Congresso Internacional de Matemáticos, que ocorre no Rio de Janeiro.

A organização do evento ainda não confirma a informação, mas, segundo a Folha de S.Paulo apurou, ele havia colocado a medalha dentro de uma pasta, junto com outros pertences. Quando se deu conta, a pasta havia sumido.

Logo após a cerimônia, a reportagem viu Birkar preocupado, perguntando por sua medalha. Por causa disso, o matemático não participou da coletiva de imprensa realizada após a entrega do prêmio.

O matemático é professor na Universidade de Cambridge.

O anúncio dos laureados e a entrega dos prêmios pelo ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva. ocorreu durante a cerimônia de abertura do ICM, no início da manhã desta quarta (1º). Trata-se do evento mais importante da matemática, que ocorre pela primeira vez na América Latina, e reúne 2.500 matemáticos de todo o mundo.

A Medalha Fields é entregue de quatro em quatro anos (junto com os congressos internacionais de matemáticos, também quadrienais) para matemáticos de até 40 anos. A cada edição, saem de duas a quatro medalhas para pesquisadores com feitos extraordinários na carreira.

Os vencedores foram o iraniano de origem curda Caucher Birkar, 40 -vítima do furto da medalha-, o italiano Alessio Figalli, 34, o alemão Peter Scholze, 30, e o indiano Akshay Venkatesh, 36. Os quatro passam agora a integrar o exclusivíssimo grupo de 56 matemáticos que já receberam a distinção, criada em 1936.

O brasileiro Artur Avila ganhou a medalha em 2014, tornando-se o primeiro latino-americano a conquistar a premiação.

A premiação em dinheiro que acompanha a Medalha Fields é modesto, pelo menos se comparada com a do Nobel, que paga cerca de US$ 1,1 milhão aos premiados. A láurea matemática dá aos seus vencedores 15 mil dólares canadenses (R$ 43 mil).

O vencedor da medalha Fields é escolhido por um comitê secreto formado por 12 matemáticos de renome -somente o nome do presidente do comitê é conhecido-, num processo que dura cerca de dois anos.



Total de acessos: 239364

Visitantes online: 1