Carregando...

Publicidade

Ausência notada na convenção, o candidato ao Senado Cid Gomes não foi ao evento, segundo o governador, em razão de uma enxaqueca. Cercados por aliados, apenas os candidatos à reeleição, Camilo e Izolda, discursaram à multidão. (Foto: Kid Júnior)

Busca Pela Reeleição: Camilo convoca união da base na campanha.

Convenção, ontem, homologou as candidaturas de Camilo, Izolda Cela e Cid Gomes na chapa governista.

06/08/2018

O governador Camilo Santana (PT) teve sua candidatura à reeleição formalizada, ontem, durante convenção partidária realizada em Fortaleza sem as presenças de seus principais líderes políticos, os ex-governadores Ciro e Cid Gomes, ambos do PDT. O chefe do Executivo estadual convocou toda a base aliada a estar unida pelo Ceará e mandou recado para opositores. “Cada ataque que vier de lá, com ódio e baixarias, vamos responder com muito trabalho”, afirmou.

A convenção realizada no ginásio da Faculdade Ari de Sá, no Centro, que teve Camilo como personagem principal, foi acompanhada por lideranças partidárias, deputados estaduais e federais que são candidatos à reeleição, assim como pelo prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), tido pelo governador como um “grande parceiro” nos últimos anos. Outro que foi lembrado durante discurso de Camilo foi o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Zezinho Albuquerque (PDT).

Somente os postulantes da chapa majoritária se pronunciaram. Apesar de vários painéis no ginásio mostrarem imagens do governador ao lado dos irmãos Ferreira Gomes, Cid não compareceu, conforme o governador, porque estava com enxaqueca, uma vez que teria ficado até as 3h da manhã de ontem discutindo a formatação das coligações na base governista. No entanto, o ex-governador, um dos mais ovacionados, foi lembrado por ele em seu discurso. “O Cid, no Senado, será muito importante para o Ceará”, sustentou.

No sábado, em convenção que oficializou a candidatura do senador Eunício Oliveira (MDB) à reeleição, o chefe do Executivo disse que o emedebista era seu candidato ao Senado, mas, ontem, o presidente do Congresso Nacional não foi citado.

Em um pronunciamento de pouco mais de 15 minutos, o governador apresentou feitos da gestão, escolhendo a Educação como área prioritária. Ele citou o desempenho das escolas estaduais em avaliações nacionais para dizer que “temos a melhor Educação do Brasil”.

Crise

O governador destacou, ainda, que o País passa por uma crise econômica e política, e que, no Ceará, soma-se a elas a crise hídrica. No entanto, salientou o pagamento em dia do funcionalismo público e investimentos na área de Segurança Pública. Além da contratação de oito mil agentes, ele mencionou investimentos como a criação do Batalhão do Raio e equipamentos de videomonitoramento. “Não vamos resolver os problemas do Estado com discursos oportunistas, mas com trabalho no dia a dia. Estou falando de projetos”.

Camilo também pediu unidade de sua base em prol dos interesses da população. “Conto com o apoio do povo e, neste palanque, não cabe a vaidade e nem o ódio. É um palanque de diálogo”, disse.

Embora estivesse marcada para as 9h, Camilo chegou à convenção por volta das 11h, ao lado da esposa Onélia Santana, da vice-governador Izolda Cela, do prefeito Roberto Cláudio e da esposa dele, Carol Bezerra, além do vice-prefeito da Capital, Moroni Torgan. O governador foi levado nos braços por correligionários até o palanque. Uma multidão se formou dentro e fora do local, motivando reclamações de que o espaço estava apertado para tanta gente. Apenas candidatos e prefeitos tinham acesso ao palanque principal. A vice-governadora Izolda Cela, candidata à reeleição, disse que a maioria das promessas de campanha feitas em 2014 foi cumprida ou está em desenvolvimento.

Eunício Oliveira não teve retribuição ao gesto realizado no dia anterior, quando defendeu voto em Cid Gomes e instalou painel com imagem do pedetista na convenção do MDB. Ontem, o emedebista sequer foi lembrado. No palco principal, havia fotos de Camilo, Cid e Izolda e, em duas torres laterais, imagens de Lula e Ciro Gomes. O governador, porém, não citou nenhum dos dois presidenciáveis.

Siglas menores fazem convenções

No fim de semana movimentado de convenções eleitorais no Ceará, cinco partidos realizaram convenções individuais e outros quatro fizeram convenção conjunta no sábado (4), em Fortaleza, para homologar seus candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara dos Deputados nas eleições deste ano. Já ontem (5), além da convenção conjunta que reuniu PT, PDT e outras siglas, mais quatro legendas também realizaram convenções individuais na Capital.
No sábado pela manhã, PCdoB e PMB fecharam apoio à chapa majoritária do governador Camilo Santana (PT). O mesmo fez o PSB, em convenção realizada à tarde. O PHS, por sua vez, oficializou que apoiará a chapa majoritária do senador Eunício Oliveira (MDB).

Ontem, além da convenção que homologou a chapa majoritária governista, PV, Avante, SD e PMN oficializaram suas deliberações eleitorais em eventos individuais. Com as composições das coligações dos aliados de Camilo indefinidas até o momento em que eram realizadas as convenções de sábado, porém, os números de candidatos, segundo seus dirigentes, poderiam mudar até ontem, enquanto eram fechadas as coligações.

No Legislativo estadual, o PCdoB aprovou cinco candidaturas à Câmara e 31 à Assembleia. Os números, contudo, poderiam ser alterados, ontem, em reunião da executiva estadual. Ainda no sábado, o PHS homologou suas candidaturas na sede do partido, na Aldeota. O PMB realizou convenção em um hotel no Bairro de Fátima, mas decidiu não lançar candidaturas. À tarde, o PSB homologou seus candidatos na Assembleia Legislativa.

No Pirata Bar, na Praia de Iracema, PPS, PPL, PRTB e Patriota realizaram convenção conjunta, também no sábado. O entendimento inicial era de que os quatro partidos sairiam juntos para deputado federal e, para estadual, apenas o Patriota ficaria fora da coligação. Durante a convenção, porém, dirigentes citaram possível saída do PPL da aliança à Câmara. A mudança resultou em reunião acalorada nos bastidores da solenidade.

No sábado, o PCO também realizou convenção e lançou candidatos a governador e vice, ao Senado, além de um nome a deputado federal e um a estadual. A sigla, porém, não tem comissão provisória ou diretório registrado no Tribunal Superior Eleitoral. O Diário do Nordeste também entrou em contato com o presidente estadual do PTC, Aldenor Brito, para apurar as deliberações da convenção do partido no Ceará, mas as ligações não foram atendidas até o fechamento desta edição.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 240287

Visitantes online: 2