Carregando...

Publicidade

Atacante Marcinho entrou aos 25 minutos do primeiro tempo no lugar do zagueiro Adalberto, que já tinha cartão amarelo e acabou marcando o gol da vitória, de virada, do Fortaleza sobre o Guarani, em Campinas. (Foto: Kléber A. Gonçalves)

Fortaleza: Moral elevado e sonho próximo.

Virada no placar por 3 a 2 contra o Guarani fez o Leão ganhar mais confiança na Série B e visualizar o acesso.

13/08/2018

No sábado passado (11), o Fortaleza perdia para o Guarani em Campinas por 2 a 1 até os 40 minutos do segundo tempo. O volante Felipe havia marcado o primeiro gol, e Gustavo empatou aos 41. Aos 48, Marcinho deu cifras finais à partida. Os jogadores tricolores comemoraram muito no gramado do Estádio Brinco de Ouro da Princesa, como se fosse um título ganho.

A vibração dos atletas tricolores foi um extravasamento pela tensão que foi o jogo, com a virada espetacular nos minutos finais da partida. O placar e a atuação do Leão no segundo tempo deram mais confiança ao grupo para os embates que ainda virão.

Com 40 pontos ganhos, no primeiro jogo do segundo turno, o Leão se aproxima paulatinamente de atingir um sonho da torcida: um acesso à Série A. O caminho é longo, pois ainda faltam 18 jogos para se encerrar a Série B e os adversários tradicionais também mantêm chances.

O Tricolor do Pici está na primeira colocação da Série B, com seis pontos acima do segundo colocado, o CSA/AL, que perdeu por 3 a 0 para o Goiás, ainda na última sexta-feira. Com isso, estacionou nos 34 pontos. Outro fator importante na vitória do Leão foi o fato de abrir 10 pontos de diferença para o quinto colocado, o Goiás, que tem 30.

Probabilidade

De acordo com o site "Chance de Gol", o Fortaleza tem 96,3% de probabilidade de subir para a Série A do Brasileiro, com o desempenho que vem mantendo.

O técnico tricolor, Rogério Ceni, contudo, é bem comedido, quando se tenta colocar muita euforia na campanha do Fortaleza. Na entrevista coletiva, foi-lhe perguntado sobre o que pensava sobre os números animadores da trajetória até aqui: "Na Série B, há única coisa que você vê é que não há favoritismo. Nós temos aí pelo menos 10 times brigando por quatro vagas. E é claro que a vitória sempre tem o efeito momentâneo de empolgação, mas assim, os jogos são muito parelhos. Não tem nenhum time que consiga deslanchar. Nós fizemos até um bom começo, na verdade, porque têm muitas negociações, você perde jogador para a Série A e para o exterior, mas são vitórias que dão esperança", reconheceu o treinador. Ele revelou que o que pede mais aos jogadores é que façam tudo para se manterem o máximo de tempo na primeira posição, que a cada rodada que passa nós estaremos próximo do objetivo", disse o treinador.

Determinantes

Rogério reconheceu que as entrada dos jogadores Marcinho, Gustavo e Wilson foram determinantes para a virada no placar. Ele explicou que não utilizou o atacante Marcinho logo de início porque havia liberado o atleta ainda na terça-feira para que ele fosse acompanhar o nascimento da filha. O jogador ficou pelo menos dois dias sem treinar normalmente com os companheiros, com viagem intercalada, e teria perdido um pouco de sua condição física para aguentar os 90 minutos em alto nível contra o Guarani.

Quanto a Wilson e Gustavo, receberam os elogios do comandante. Wilson entrou até numa função diferente da que usualmente desempenha, por conta do desgaste do meia Dodô e conseguiu dar passe para gol.

Rogério Ceni reiterou que escalou o Fortaleza de acordo com a forma de jogar do Guarani, fato que se já repetiu em outros jogos, mediante a observação dos membros de sua equipe.



Total de acessos: 217825

Visitantes online: 12