Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Internet)

Segundo o Datafolha: Bolsonaro perderia de 4 oponentes no 2º turno.

Instituto mostrou que Lula, Marina, Ciro e Alckmin conseguiriam derrotar candidato, que é líder em rejeição.

23/08/2018

São Paulo/Brasília. Pesquisa Datafolha apontou, ontem, que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) perderia em um eventual segundo turno para Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT), em cenário sem Lula (PT), assim como também perderia em um confronto direto com o ex-presidente da República. O candidato do PSL venceria, contudo, em uma disputa com Fernando Haddad (PT).

O mesmo levantamento mostra que Bol sonaro tem 22% das intenções de voto e lidera a disputa no cenário sem Lula. A seguir vem Marina, com 16%. Ciro aparece em terceiro, com 10%, seguido por Alckmin, com 9%. Alvaro Dias (Podemos) e Haddad aparecem com 4%. João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB) têm 2% das intenções de voto. Vera, Daciolo, Boulos e João Goulart Filho (PPL) têm 1%. Já Eymael (DC) não pontuou.

Cenário com Lula

Já quando Lula é incluído na corrida presidencial, o petista lidera com 39% das intenções de voto, ainda segundo pesquisa Datafolha. Bolsonaro tem 19%; Marina, 8%; Alckmin, 6%; Ciro, 5%. Dias aparece com 3%, Amoêdo soma 2%. Meirelles, Boulos, Cabo Daciolo e Vera Lúcia têm 1% cada. Os números apontam, ainda, que Bolsonaro tem a maior rejeição entre os presidenciáveis: 39% dos eleitores afirmam que não votariam no candidato "de jeito nenhum". Em seguida aparece Lula, com 34%. Alckmin é rejeitado por 26% dos eleitores, seguido por Marina (25%) e Ciro (23%). Haddad é o menos rejeitado entre os principais candidatos com 21%.

Fator renda

Ainda segundo o Datafolha, em cenário sem o ex-presidente, Marina lidera entre eleitores mais pobres, ela tem 19% das intenções de votos de quem ganha até dois salários mínimos (R$ 1.908,00); Bolsonaro (PSL) vem em seguida, com 14%.

Entre os mais ricos, que ganham mais de dez salários mínimos (R$ 9.540,00), o candidato militar também é o preferido dos mais escolarizados, em pesquisa espontânea. Em um cenário com Lula, Bolsonaro tem 30% das intenções de voto entre eleitores com maior poder aquisitivo. O pior desempenho do militar está entre os mais pobres, com 8% das suas intenções de voto.

Entre os eleitores que ganham até dois mínimos, Lula tem 24% das intenções de voto. Nessa porção do eleitorado também paira a dúvida, 45% dos entrevistados não sabem em quem votar. Apesar do PT ser o partido de preferência de 75% dos eleitores mais pobres, que ganham até três mínimos, Haddad, na hipótese de impedimento da candidatura de Lula, tem 7% das intenções de voto destes eleitores. Haddad é preferência de 9% dos ouvidos que ganham mais de dez mínimos.

Repercussão

Ciro voltou, ontem, a criticar o PT e Bolsonaro. Perguntado sobre qual era a posição dele em um eventual segundo turno de Bolsonaro contra o PT, Ciro desconversou e brincou com jornalistas. "Pode morrer?", disse.

"Olha, a gente tá lutando por uma saída que não seja extremista, que não seja demagógica e que não seja mentirosa", afirmou, sem citar rivais. "Vamos deixar o povo resolver".

Marina se mostrou contida ao comentar sobre o resultado da pesquisa. "Nós estamos fazendo nosso trabalho. Dialogando com a sociedade. Apresentando nossas propostas, porque temos certeza que a sociedade brasileira é única que pode fazer a diferença nessas eleições", disse.


(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)


Total de acessos: 218909

Visitantes online: 5