Carregando...

Publicidade

A desembargadora Nailde Pinheiro, em uma fala para operadores do Direito, em julho, no seminário sobre eleição, já tratava da insegurança. (Foto: José Leomar)

Segurança da Eleição: Juízes do TRE decidem requisitar força federal.

Só municípios com mais de 100 mil eleitores foram incluídos na relação dos que podem receber o reforço.

23/08/2018

Os juízes integrantes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Ceará decidiram, ontem, por unanimidade, encaminhar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o pedido de requisição de força federal para garantir as eleições no Estado do Ceará, especialmente nos municípios de Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Sobral e Juazeiro do Norte. A preocupação com a insegurança em algumas zonas eleitorais da Capital e do Interior do Estado já havia sido anunciada pela desembargadora Nailde Pinheiro, presidente do TRE, para justificar o pedido da força federal, como foi destacado pelo Diário do Nordeste, na edição da última terça-feira (21).

A decisão da Corte Eleitoral se concretiza dois dias após o recebimento, pelo Tribunal, de um ofício do procurador regional eleitoral, Anastácio Tahim, defendendo o concurso de forças federais para garantir a eleição, conforme noticiado na edição dessa quarta-feira (22) deste Jornal. A presidente do TRE, desembargadora Nailde Pinheiro, também já havia se posicionado favoravelmente à presença de tropas federais no Estado durante a eleição deste ano, conforme também destacado pelo Diário, na edição de terça-feira.

Na tarde de ontem, antes de tratar do assunto no plenário do TRE, a presidente do Colegiado, desembargadora Nailde Pinheiro, convocou os demais juízes do Pleno e o procurador Anastácio Tahim para uma reunião na Sala da Presidência do Tribunal.

Logo após a conversa reservada, que durou cerca de 15 minutos, a desembargadora abordou o assunto, citando uma consulta feita pelo TSE em abril deste ano. Em seguida, a Comissão de Segurança Permanente, presidida pelo juiz Eduardo Scorsafava, foi acionada para realizar um levantamento sobre a necessidade das forças federais. "Chegamos a um entendimento de que reconhecemos o esforço da Polícia Militar, da Polícia Civil do Ceará, no entanto, temos que trabalhar com a prevenção e trazer algo mais que possa vir a somar à força policial já existente no nosso Estado", disse.

Suporte

A Comissão de Segurança Permanente consultou juízes eleitorais de todo o Ceará sobre o assunto, que contribuíram com relatos de situações vivenciadas e avalizaram a necessidade de mais segurança. Segundo Scorsafava, a intenção "é agregar, somar esforços, porque é fato público e notório que todos os estados da Federação têm sido vítimas de ataques criminosos por organizações criminosas".

O juiz eleitoral destacou os esforços já feitos pelo Governo do Estado em segurança pública e pontuou que as forças federais, inclusive, darão "suporte de transferência de policiais para reforçar o policiamento ostensivo e de inteligência nessas zonas no Interior do Estado".

Presente na sessão, o procurador regional eleitoral, Anastácio Tahim, que já havia enviado ao TRE, na segunda-feira (20), ofício reforçando a necessidade, espera que a resposta do TSE seja dada o mais breve possível. "Você tem como preparar em que modo vai se dar essa segurança, ter um planejamento em torno das medidas necessárias, preventivamente, principalmente. Você precisa de tempo. Essa tropa federal precisa se organizar para vir. Os órgãos responsáveis pelo planejamento do emprego dessa tropa precisam sentar, se reunir, conversar. Isso demanda tempo. Quanto mais rápido isso se der, melhor para todo mundo", destacou. Anastácio Tahim também quer segurança para os promotores eleitorais.



Total de acessos: 216018

Visitantes online: 4