Carregando...

Publicidade

(Foto: Reprodução/Diário do Nordeste)

TSE define as durações das propagandas de rádio e TV dos presidenciáveis.

Alckmin terá maior fatia do horário eleitoral, enquanto a candidatura indefinida do PT aparece na 2ª colocação.

24/08/2018

Brasília. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou, ontem, a previsão do tempo de cada candidato a Presidente da República no horário eleitoral, a ser veiculado no rádio e na televisão às terças, quintas e sábados.

O horário eleitoral está previsto para começar no dia 31 de agosto, próxima sexta. Contudo, as peças dos presidenciáveis serão veiculadas em um bloco à tarde e outro à noite, ambos com a mesma duração, a partir do dia 1º de setembro, um sábado.

A Corte Eleitoral também comunicou quantas inserções (peças de propaganda de curta duração divulgadas ao longo do dia) terá cada presidenciável ao longo do primeiro turno.

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, é quem detém a maior fatia do horário eleitoral: o tucano deverá ter 5 minutos e 32 segundos em cada bloco de propaganda, além de 434 inserções que serão transmitidas na programação de rádio e TV ao longo do 1º turno.

A candidatura do ex-presidente Lula (PT) possui a segunda maior fatia do horário eleitoral: dois blocos diários de 2 minutos e 23 segundos cada, além de 188 inserções ao longo do 1º turno, mais uma inserção extra de 30 segundos definida por sorteio.

Já o candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, terá oito segundos em cada bloco de propaganda e 11 inserções ao longo do primeiro turno da campanha eleitoral. Dos 13 concorrentes, o menor tempo é do João Goulart Filho (PPL) que terá apenas 5 segundos em cada bloco de propaganda.

Ordem de aparição

Marina vai abrir o bloco do horário eleitoral reservado aos candidatos ao Palácio do Planalto. A definição da sequência de aparição dos candidatos no rádio e na televisão foi feita à moda antiga, como se fosse bingo, com o número de urna de cada candidato representando uma bolinha correspondente no sorteio.

Conforme o TSE, a ordem do horário eleitoral de 1º de setembro será essa: Marina (Rede), Cabo Daciolo (Patriota), Eymael (DC), Meirelles (MDB), Ciro (PDT), Boulos (PSOL), Alckmin, Vera Lúcia (PSTU), Lula, Amoêdo (Novo), Alvaro Dias (Podemos), Bolsonaro (PSL) e João Goulart Filho.

No mesmo dia das propagandas dos presidenciáveis (terças, quintas e sábados), são veiculadas as peças dos deputados federais. A ordem de aparição dos candidatos a presidente da República nos blocos de propaganda vai se alterando ao longo desses três dias: por exemplo, o primeiro candidato do bloco dos presidenciáveis na terça-feira será o último da próxima vez (ou seja, quinta-feira), e assim por diante.

Cada bloco do horário eleitoral veiculado na TV tem 25 minutos - o horário de exibição na televisão é das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55.

Às terças, quintas e sábados, metade do tempo fica com os deputados federais; a outra metade, com os presidenciáveis.

Nos outros dias, são veiculadas as propagandas dos candidatos que concorrem a outros cargos, como governador, senador e deputado estadual.

Sobras

A divisão dos tempos de cada candidato a Presidente da República no bloco do horário eleitoral fará com que sobrem nove segundos a cada bloco, informou o TSE. De acordo com a assessoria do tribunal, essa "sobra" de nove segundos diz respeito às diferenças de centésimos de segundos distribuídas entre todos os 13 candidatos na corrida ao Palácio do Planalto.

Segundo o TSE, essa sobra de nove segundos vai ser destinada sempre ao último candidato que aparecer no bloco de propaganda. Como a ordem de aparição dos candidatos na televisão vai sempre variar, todos deverão ser beneficiados com o tempo extra. As sobras foram sorteadas para seis candidatos, que vão ganhar, cada um, uma inserção extra de 30 segundos: Eymael, Amôedo, Marina, Ciro, Dias e Lula.



Total de acessos: 218029

Visitantes online: 5